Publicidade

19 de Fevereiro de 2014 - 20:34

Por Tribuna

Compartilhar
 

Representantes das operadoras Oi, Tim, Claro e Vivo se reuniram nesta quarta-feira (19) com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Telefonia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte, para assinatura de um plano de melhorias dos serviços prestados no estado. O documento elencou 15 procedimentos que serão seguidos pelas empresas. No encontro também estiveram presentes representantes do Procon Assembleia e do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado (Sinttel-MG).

Dentre os compromissos firmados pelas operadoras estão aumentar a capacidade de transmissão, ampliar o número de antenas e estações rádio-base, criar espaço para atendimento prioritário aos idosos nas lojas, ter um canal 0800 para atendimento direto aos Procons e oferecer cobertura celular para 100% da zona rural em Minas Gerais até o dia 31 de dezembro de 2015. Também foi acordado que os sites das empresas irão disponibilizar informações sobre valores cobrados pelos serviços, assim como o contrato firmado entre o consumidor e a operadora.

De acordo com o superintendente do Procon de Juiz de Fora, Nilson Ferreira Neto, a partir de agora o órgão irá fiscalizar se as ações do plano de melhorias serão cumpridas na cidade. "Queremos incentivar os consumidores a nos informarem se os problemas persistirem. É a partir da formalização das queixas que os órgãos de defesa conseguirão monitorar o cumprimento das ações." Segundo ele, a maior expectativa é com relação ao aumento da capacidade de transmissão. "Esperamos muito esse investimento por parte das empresas, pois sabemos que o consumidor juiz-forano tem muito problema com sinal de celular e internet." Em 2013, o Procon-JF recebeu mais de oito mil reclamações do setor, sendo 2.739 sobre telefonia celular, 3.974 sobre telefonia fixa e 1.407 sobre internet.

Hoje, o plano de melhorias será distribuído pelo Procon Assembleia durante a XXVIII Reunião do Fórum dos Procons Mineiros, em Belo Horizonte. De acordo com o coordenador do órgão, Marcelo Barbosa, a ideia é difundir o material para ajudar a fiscalizar o cumprimento das ações em todo o estado.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?