Publicidade

31 de Janeiro de 2014 - 07:00

Executivo informou que a companhia decidiu retornar ao Itamar após conversas com o Governo do estado

Por Gracielle Nocelli

Compartilhar
 

Contrariando a afirmação inicial de que a Zona da Mata não teria demanda de passageiros para que uma companhia aérea atuasse simultaneamente nos aeroportos Francisco Álvares de Assis, em Juiz de Fora, e Itamar Franco, entre Rio Novo e Goianá, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras garantiu nesta quinta-feira (30) que irá operar nos dois terminais, caso o pedido de transferência das linhas com destino a Belo Horizonte seja aprovado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Em entrevista à Tribuna, o diretor de planejamento da empresa, Marcelo Bento, detalhou os motivos que trouxeram o interesse em retomar as atividades no Itamar Franco e informou que a região não ganhará novos voos.

Segundo Bento, a intenção de transferir os voos destinados à capital mineira, hoje operados pelo Serrinha, para o Itamar Franco, surgiu após conversas com o Governo do estado. "Temos uma relação muito importante com Minas Gerais, onde assumimos o compromisso de servir as cidades do interior. Entendemos que o aeroporto de Goianá tem uma grande importância para toda a região e que não poderia ficar parado. Além disso, estamos encerrando as atividades em Varginha, o que nos permite iniciar operações em outro terminal."

Questionado se os problemas meteorológicos que não permitem condição de pouso no Serrinha e fazem com que a companhia utilize o Itamar Franco também teriam influenciado na decisão, Bento afirma que isto não é um "fator determinante". O executivo ainda assegura que a empresa não deixará o aeroporto de Juiz de Fora. "Com a aprovação da Anac, teremos os voos para o Aeroporto Tancredo Neves (Confins), em Belo Horizonte, partindo de Goianá e manteremos os voos para o Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), partindo do Serrinha. Achamos que dividindo as nossas operações teremos bons resultados para a empresa e, também, para a região."

De acordo com Bento, a taxa de ocupação dos voos para Campinas é de 80%, e para Belo Horizonte, 60%. "As linhas para Viracopos estão consolidadas e não seria interessante realizar alterações. Já os voos para Confins, por serem mais recentes, nos permitem esta modificação." A possibilidade da Zona da Mata ganhar novos destinos é descartada. "Os voos que operamos na região são para os nossos dois maiores hubs, por isso, não enxergamos a necessidade de criar novos destinos. Por enquanto, também não pensamos em ampliar o número de linhas."

Procurada pela Tribuna, a gerência do Serrinha informou que não foi comunicada oficialmente pela Azul sobre o pedido de transferência dos voos. Já a Multiterminais, administradora do Itamar Franco, não se posicionou sobre o assunto.

 

Histórico

Quase oito meses depois de encerrar as atividades no Itamar Franco e começar a atuar no Serrinha, a Azul solicitou à Anac a transferência de voos do aeroporto juiz-forano para o de Goianá. O pedido foi feito na última quarta-feira e segue em análise. O prazo para resposta do órgão regulador é até 20 de março.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a Justiça agiu corretamente ao permitir, por habeas-corpus, a soltura dos ativistas presos durante a Copa?