Publicidade

30 de Janeiro de 2014 - 07:00

Quase oito meses depois de deixar o aeroporto, companhia pede autorização à Anac para transferir voos do Serrinha para Goianá

Por Gracielle Nocelli

Compartilhar
 

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras solicitou autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para voltar a operar no Aeroporto Presidente Itamar Franco, localizado entre Rio Novo e Goianá. O pedido foi feito nesta quarta-feira (29) e segue em análise pelo órgão regulador, que dará resposta até o dia 20 de março. Caso haja aprovação, a companhia irá transferir os voos realizados pelo Aeroporto Francisco Álvares de Assis (Serrinha), em Juiz de Fora, com destino a Belo Horizonte, para o Itamar Franco. A princípio, a Azul irá atuar nos dois terminais, já que as linhas para Campinas (SP) não sofrerão alteração.

De acordo com a Anac, o pedido é para que a empresa opere dois voos, de segunda à sexta-feira, e um aos domingos, com destino ao Aeroporto Tancredo Neves (Confins). De acordo com a assessoria do órgão, a solicitação mantém os horários das linhas hoje vigentes no Serrinha, bem como o modelo de aeronave AT72, com capacidade para 70 lugares.

O pedido da Azul acontece quase oito meses depois da companhia deixar o Itamar Franco. No dia 4 de junho do ano passado, a empresa transferiu os voos que operava no terminal, com destino à Campinas (SP), para o Aeroporto da Serrinha. Na ocasião, a companhia justificou a mudança como "otimização da malha aérea" e informou que, "como parte do processo, encerraria os voos de Juiz de Fora para Guarulhos e Belo Horizonte".

Diante da decisão, o Itamar Franco ficou sem voos comerciais. Lideranças políticas e sociedade se uniram para reivindicar a retomada das operações no local, porém, apesar das especulações, nenhuma companhia se instalou no terminal. No início deste mês, a Tribuna mostrou que a região do entorno do aeroporto passou por processo de enfraquecimento econômico desde o encerramento das atividades da Azul.

Os voos entre Juiz de Fora e Belo Horizonte foram retomados pela Azul em novembro do ano passado. No mesmo mês, o diretor de planejamento da companhia aérea, Marcelo Bento, declarou que a demanda de passageiros da Zona da Mata havia crescido 20% desde a mudança para o Serrinha. Segundo ele, a taxa de ocupação das linhas para Campinas era de 80%, e a expectativa era que o mesmo acontecesse com os voos para Belo Horizonte. "A linha para Confins ainda está em fase inicial, mas acreditamos que colheremos números semelhantes." Na ocasião, ele ressaltou que a saída do Itamar Franco foi uma decisão exclusivamente comercial. "Seria inviável continuar operando em dois aeroportos tão próximos. Embora a Zona da Mata esteja vivendo um processo de desenvolvimento significativo, não há demanda para isso."

Para 20 de março

Nesta quarta, a Azul confirmou o pedido de retomada das atividades no Itamar Franco. "Se a Anac aprovar o nosso pedido, vamos iniciar nossas operações no dia 20 de março com voos para Confins. Quanto ao Aeroporto da Serrinha, a companhia manterá suas operações com linhas para Campinas, onde os clientes têm mais de 50 opções de destinos", informou em nota. A assessoria da empresa não deu detalhes sobre os motivos da decisão e afirmou apenas que o retorno para o aeroporto de Goianá estava sendo conversado com o Governo do estado.

Procurada pela Tribuna, a assessoria da Secretaria de Transportes e Obra Pública (Setop) informou que a pasta "recebeu uma visita de cortesia da Azul este mês, quando foram discutidos assuntos sobre a atividade da aviação regional em Minas. Sobre a questão específica do Itamar Franco, cabe à empresa falar". Já a Multiterminais, administradora do aeroporto, não quis comentar o assunto.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprova o retorno de Dunga para o comando da Seleção Brasileira?