Publicidade

18 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) condenou o Bretas a indenizar em R$ 10 mil uma criança que teve intoxicação alimentar após consumir produto com bolor adquirido em um dos supermercados localizados em Juiz de Fora. Procurada pela Tribuna, a assessoria do Bretas não se posicionou sobre o assunto.

De acordo com o TJMG, a mãe do garoto comprou uma lata de cocada no supermercado em setembro de 2012. Após ingerir uma colher do doce, a criança achou o sabor estranho e mostrou o produto para a mãe, que percebeu que a cocada estava estragada. Mais tarde, o garoto foi internado com dores e dificuldade de respirar.

A Vigilância Sanitária constatou que o produto apresentava fungos. A consumidora, então, ajuizou ação contra a empresa. O supermercado alegou que quem deveria responder pelos danos era a fábrica produtora da cocada, já que o produto estava na validade, devidamente acondicionado e sem violação do recipiente. Por fim, defendeu que os consumidores não provaram que a intoxicação se originou da ingestão do doce.

A 3ª Vara Cível de Juiz de Fora entendeu que o supermercado também era fornecedor do produto, e que a internação e o laudo da Vigilância eram provas suficientes de que o doce fez mal à criança. O Bretas foi condenado a pagar R$ 10 mil em indenização. O supermercado apelou da sentença, que foi confirmada pelo TJMG.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?