Publicidade

09 de Julho de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

Após o cancelamento da edição do Minas Láctea deste ano, prevista para novembro, empresários da cidade se reuniram ontem com o chefe geral do Instituto de Laticínios Cândido Tostes (ILCT), Leandro Viana, para discutir a organização do evento para julho de 2015. Durante o encontro, realizado na sede da Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora (ACE-JF), foi criado comitê gestor que será responsável por buscar soluções para questões consideradas "gargalos".

A melhoria no atendimento dos participantes do evento pelos setores de bares, restaurantes, hotéis, comércio e transporte da cidade será o principal ponto de debate do comitê. "A criação deste grupo é um ponto de partida muito importante", destaca o presidente da ACE-JF, Aloísio Vasconcelos. "Fiquei muito preocupado com o cancelamento do Minas Láctea, mas entendemos que em um ano atípico, com Copa do Mundo e eleições, não teríamos o sucesso habitual. Estou otimista que trabalhando com antecedência faremos do evento uma vitrine para a cidade no segmento de turismo de negócios."

A ideia, conforme destacou Leandro Viana, é trabalhar desde já o planejamento para que o Minas Láctea alcance resultados ainda melhores. "No próximo ano teremos a feira, o congresso e também iremos comemorar os 80 anos do ILCT. A expectativa é que tenhamos um público maior." Em 2013, o evento, considerado o maior do setor laticinista da América Latina, reuniu cerca de 14 mil pessoas e gerou R$ 200 milhões em negócios.

Para o diretor executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) da Zona da Mata, Marcos Henrique Miranda, o momento é de reflexão. "Foi muito ruim perdermos o evento este ano. Mas espero que possamos nos fortalecer nesta adversidade." Segundo ele, o comitê irá se reunir com periodicidade. "Dentro de 15 dias devemos fazer a primeira reunião para buscarmos as soluções necessárias."

Cancelamento

O cancelamento do Minas Láctea foi comunicado pela Epamig na sexta-feira. A decisão, segundo Viana, foi tomada após reunião com expositores do evento realizada em Belo Horizonte. "São eles que investem no evento, tivemos que respeitar a decisão. Sabemos que é uma perda para Juiz de Fora, mas temos que olhar para frente. O empresariado local entendeu a situação. Reuniremos esforços para a edição 2015."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a realização de blitze seria a solução para fazer cumprir a lei que proíbe jogar lixo nas ruas?