Publicidade

09 de Maio de 2014 - 16:13

Por Tribuna

Compartilhar
 
Comerciantes apostam nas compras de última hora
Comerciantes apostam nas compras de última hora

Atualizada às 19h59

Enfrentando um período de retração desde o ano passado, o comércio de Juiz de Fora não dá sinais de recuperação com as vendas para o Dia das Mães, considerada a segunda melhor data para o setor, atrás apenas do Natal. Nesta sexta-feira (9), faltando dois dias para comemoração, lojas da cidade estavam vazias, e empresários de diferentes setores se mostraram preocupados com a situação. Segundo eles, há chance de os resultados este ano serem inferiores aos de 2013. A expectativa é que as vendas deste sábado, quando os estabelecimentos ficarão de portas abertas até as 18h, possam melhorar o cenário desfavorável.

Na loja de roupas Sandway, a gerente Jeanne Mara conta que a decoração e as ofertas específicas para data foram feitas com antecedência para despertar o interesse dos consumidores. "Não sabemos explicar o que ocorreu, mas a procura está baixa. Nos outros anos, uma semana antes as vendas cresciam consideravelmente." Para ela, a expectativa é que consumidores de última hora consigam melhorar os resultados. "Sabemos que muitas pessoas deixam para última hora, estamos esperando trabalhar muito neste sábado." 

Para o proprietário da loja de sapatos Romana, Ragner Barros, os consumidores também devem aparecer de última hora. "O quinto dia útil do mês caiu na quinta-feira, quando muitos trabalhadores receberam pagamento. Acredito que agora as vendas possam aumentar, pois até o momento os resultados estão fracos." Os consumidores de última hora também são a aposta do proprietário da loja de chocolates Brasil Cacau, Hélio Júnior. "As pessoas estão comprando menos este ano. Espero que o movimento aumente amanhã (sábado) para conseguirmos, pelo menos, igualar às vendas do ano passado."

Nas ruas, os consumidores confirmam a situação descrita pelos comerciantes. Nesta sexta-feira, a atendente Meirielen Ferreira, 28 anos, ainda não havia comprado o presente para a mãe. "Com a falta de tempo, acaba ficando para última hora. Mas vou presenteá-la este ano." A projetista Luana Ribeiro, 26 anos, também não pretende abrir mão da tradição. "Todo ano compro um presente. Este ano devo escolher uma bolsa e, por isso, gastar até um pouco mais do que o planejado. Vai ter que ser na última hora."

 

Expectativas

Pesquisa encomendada pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e realizada pelo Instituto Ipsos indica que 44% dos brasileiros não pretendem comprar presentes para o Dia das Mães este ano. Com isso, a associação afirma que a expectativa é de vendas moderadas para a data. Já a estimativa da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Juiz de Fora é que o comércio tenha aumento de 8% no comparativo com o ano passado. O Sindicato do Comércio (Sindicomércio-JF) também acredita em crescimento. "Estamos atravessando um mau momento, mas os consumidores têm o hábito de comprar na última hora e, com as lojas abertas até mais tarde, a expectativa é que as vendas melhorem."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?