Publicidade

12 de Março de 2014 - 19:48

Por Tribuna

Compartilhar
 
Trecho que passa por Santos Dumont é crítico
Trecho que passa por Santos Dumont é crítico

O contrato de concessão da BR-040 (DF-GO-MG) para iniciativa privada foi assinado nesta quarta-feira (12) em Brasília pela presidente Dilma Rousseff, durante cerimônia que contou com a presença do ministro dos Transportes, César Borges. O documento transfere para a Invepar, companhia vencedora do leilão realizado no ano passado, a responsabilidade pela operação, recuperação, ampliação e manutenção da rodovia durante os próximos 30 anos. Os investimentos no período serão de R$ 7,92 bilhões. De acordo com o Ministério dos Transportes, dentre as obrigações da concessionária estão a de duplicar 557 quilômetros dos 936,8 quilômetros que ligam Juiz de Fora à Brasília, nos próximos cinco anos.

A expectativa é que, com este trabalho, sejam melhorados alguns dos trechos mais críticos da rodovia, garantindo inclusive a redução do número de acidentes. Desde 2008, a Tribuna acompanha a degradação da BR-040 no percurso entre Juiz de Fora e Belo Horizonte. Na época, já havia sido constatada a necessidade de duplicação e construção de acostamentos, ampliação da capacidade viária e realização de obras, como viadutos e passarelas. Em setembro do ano passado, a reportagem voltou a percorrer o trecho, considerado o mais crítico pelos usuários e com alarmantes estatísticas: sete acidentes por dia, e, aproximadamente, seis mortos por mês.

Dentre os trechos que serão duplicados estão o de Luiziania (GO) até Paraopeba (MG), do entroncamento com a BR-365 (trevo Ouro Preto) até Barbacena e de Oliveira Fortes (MG) até Juiz de Fora. A cobrança do novo valor de pedágio, fixado em R$ 3,22, poderá ser efetuada depois que 10% das obras forem concluídas, o que deverá ocorrer no prazo máximo de 18 meses. Ao longo de todo o percurso serão instaladas onze praças de pedágio.

De acordo com a assessoria da Invepar, além da duplicação também "serão convertidos 144,8 quilômetros de multivias (pistas com duas faixas por sentido, sem separação) em pista dupla."A empresa afirma, ainda, que "investirá na implantação de vias marginais, terceiras faixas, dispositivos de entroncamento em desnível, passarelas, correções de traçado e melhorias em acessos." Serviços como socorro mecânico, atendimento médico emergencial com ambulâncias e instalação de mil câmeras de monitoramento serão disponibilizados.

 

Outras rodovias

Durante a cerimônia desta quarta também foram formalizados os contratos de concessão das rodovias BR-163/MS, com a Companhia de Participações em Concessões (Grupo CCR), e BR-163/MT com a Odebrecht.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você leva em consideração a escolaridade do candidato na hora de votar?