Publicidade

14 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

O horário de verão termina à meia noite deste sábado (15), e os relógios das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste devem ser atrasados em uma hora. De acordo com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), nos 119 dias de vigência da medida, foi registrada uma redução diária da demanda máxima de 4%, o que equivale a 340 MW, valor 6% superior ao ano passado. A energia economizada é suficiente para atender uma demanda de ponta de uma cidade de 750 mil habitantes, equivalente à soma das cidades de Juiz de Fora e Sete Lagoas (MG). Além disso, foi obtida uma economia de 0,5% do consumo de energia, o que representa 35 MWmédios ou cerca de 100.000 MWh, durante todo o período do horário de verão (energia suficiente para abastecer Belo Horizonte durante oito dias).

De acordo com avaliações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), para o horário de verão 2012/2013, a economia no sistema elétrico interligado brasileiro foi de 4,5% de redução na demanda máxima ou 2.477 MW, o que equivale à soma do dobro da carga de Brasília, 75% da carga de Curitiba e 10% da carga de Palmas (TO). Essa redução de demanda seria suficiente para abastecer uma cidade com cinco milhões de habitantes no horário de ponta. Já a redução do consumo de energia atingiu 250 MWmédios, correspondentes a soma de 25% do consumo mensal de Brasília, 10% de Curitiba e 2% de Palmas (TO). Essa redução foi incorporada ao armazenamento dos reservatórios das hidrelétricas brasileiras, representando uma economia de R$ 200 milhões, se calculados pelo custo médio de geração térmica. O ONS ainda não divulgou dados consolidados de 2013/2014.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a realização de blitze seria a solução para fazer cumprir a lei que proíbe jogar lixo nas ruas?