Publicidade

06 de Maio de 2014 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) iniciou nesta segunda-feira (5) o pagamento do segundo lote da revisão de benefícios aos segurados que têm direito a atrasados de, no máximo, R$ 6 mil e que tinham entre 46 e 59 anos de idade em 17 de abril de 2012. Ao todo, serão pagos R$ 480 milhões a 243 mil beneficiários de auxílio-doença, auxílio-acidente, aposentadoria por invalidez e pensões concedidas entre o período de 2002 a 2009. A restituição segue até sexta-feira e é feita porque o órgão errou no cálculo de benefícios por incapacidade.

Os segurados que ainda recebem benefício terão os atrasados pagos até o dia 9. Já aqueles que não têm benefícios ativos receberão os valores até o dia 8. Também foram incluídos neste lote os auxílios que tinham previsão de pagamento em março de 2013, mas estavam em análise. Para saber se está na lista, o segurado pode ligar para o número 135, de segunda a sábado, das 7h às 21h, ou fazer a consulta no site da Previdência Social (www.previdencia.gov.br).

 

Cronograma

Os benefícios ativos com final 1 e 6 já foram pagos. Nesta terça-feira será feito o pagamento referente aos cartões com final 2 e 7. Na quarta, aos com final 3 e 8; na quinta-feira, aos com terminação 4 e 9; e, na sexta-feira, os cartões de número 5 e zero. Os segurados receberão os valores nas contas onde regularmente são creditados o auxílio.

No caso dos benefícios inativos, os cartões com terminação 1, 2, 6 e 7 já foram pagos. O cronograma segue nesta terça com quem tem o benefício de final 3 e 8; quarta, para quem tem as terminações 4 e 9; e na quinta-feira, será encerrada com os cartões de final 5 e zero. Nestes casos, o recebimento será feito pelo Pagamento Alternativo de Benefício (PAB), por meio do Banco do Brasil da microrregião onde o beneficiário mora.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?