Publicidade

18 de Março de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

Juiz de Fora seguiu perdendo postos de trabalho em fevereiro. O saldo da criação de empregos formais na cidade ficou negativo em -0,06%, o que equivale à perda de 82 vagas. No acumulado do ano, o saldo, também negativo, é de -0,2%. No mesmo mês, o estado e o país tiveram desempenho positivo. Minas Gerais criou 22.714 vagas, alta de 0,53% nos postos de trabalho, e o país somou 260.823 novos empregos com carteira assinada - saldo de 0,64%, o segundo melhor resultado para o período na série histórica. O desempenho juiz-forano também é inferior ao conquistado pela cidade no mesmo mês do ano passado, quando a perda de vagas foi menor (19). No primeiro bimestre de 2013, o saldo local era positivo em 283 vagas.

Em 2014, destaca-se a perda de vagas do comércio juiz-forano, que registrou 208 postos a menos em fevereiro e queda de 823 no acumulado dos dois primeiros meses. O setor de serviço também tem números ruins: 50 postos fechados em fevereiro, e 193 no ano. No mês, a indústria local tem o melhor resultado absoluto entre os setores, com abertura de 106 vagas (0,49%). No bimestre, o destaque é a construção civil, que soma 402 vagas (3,96%).

No país

Brasília (ABr) - No Brasil, o número de empregos formais em fevereiro mais que dobrou em relação aos 123.446 empregos registrados no mesmo mês de 2013, e foi maior do que os 150.600 de fevereiro de 2012, ficando aquém apenas dos 280.799 postos líquidos de trabalho contabilizados em fevereiro de 2011. Todos o setores apresentaram melhor comportamento frente a fevereiro de 2013. Em números absolutos, os destaques foram para os setores de serviços, com 143.345 postos - saldo recorde para o período -, indústria de transformação (51.951 postos), construção civil (25.055 postos) e comércio (19.330 vagas).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?