Publicidade

06 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Desfiles, antecipados este ano, também devem provocar a abertura de mais de 600 vagas temporárias

Por Tribuna

Compartilhar
 
Casa Chic deve elevar as vendas em até 10%
Casa Chic deve elevar as vendas em até 10%

A 16 dias para o Carnaval antecipado de Juiz de Fora - o desfile das escolas de samba começa no dia 21 - as lojas especializadas comemoram o aumento da procura por tecidos, fantasias e acessórios. Entre os lojistas, a expectativa é aumentar em até 15% as vendas em relação a folia de 2013. Além de movimentar o comércio, a data também ganha destaque pela criação de vagas temporárias. Conforme estimativa da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesjuf), o número de oportunidades, este ano, passou de 600 na cidade.

Segundo o presidente da Liesjuf, Paulo Mancini, apesar de as cerca de 200 vagas oferecidas nos barracões, relacionadas a confecção de fantasias e alegorias, já terem sido preenchidas, ainda há oportunidades para funções, como empurrador de carro. A estimativa é de pelo menos 20 homens para cada uma das 13 agremiações, totalizando 240 trabalhadores. Pelos cálculos de Mancini, as 18 barracas disponibilizadas devem dar oportunidade de trabalho a outras cem pessoas. Há, ainda, os 50 ambulantes que vão atuar na avenida vendendo acessórios, comida e bebida. "Quem está nesse meio fica doido para chegar o Carnaval", disse, destacando a existência das oportunidades sazonais.

Das vagas na Passarela do Samba para as vendas nas ruas, o Carnaval também concentra a expectativa dos lojistas de incremento no faturamento neste início de ano. Na Casa Chic Tecidos, a expectativa da proprietária Mounira Haddad Rahme é elevar as vendas em até 10% este ano. Enquanto as escolas juiz-foranas iniciaram as compras em setembro, o movimento, agora, está concentrado nas agremiações de cidades mineiras, como Ouro Preto, Santos Dumont, São João del-Rei e Mariana. Na opinião de Mounira, a antecipação dos desfiles em uma semana deve favorecer o comércio, já que o maior número de foliões na cidade deve representar maior movimento nas lojas. Segundo a comerciante, na busca por um desfile marcante na avenida, vale até comprar renda cujo preço do metro chega a R$ 350.

Na Casa Combate, a gerente Cláudia Moisés Franchini identifica aumento da procura esta semana. Na loja, a expectativa é de incremento de 15% no faturamento ante 2013. Entre os produtos mais procurados, Cláudia cita as fantasias infantis e os acessórios para adultos. Segundo ela, hoje o movimento é constituído prioritariamente por consumidores de outras cidades. "O juiz-forano deixa para a última hora, é sempre assim", comenta. Sobre a mudança na data dos desfiles, a gerente vê com cautela a novidade deste ano. "Eu acho que o pessoal não vai estar no clima de Carnaval uma semana antes." Durante a folia propriamente dita, a Combate espera contar com a clientela de fora, de municípios como Bicas, Cataguases e Leopoldina, cujo calendário de Momo não sofreu alteração.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da liberação da maconha para uso medicinal?