Publicidade

25 de Março de 2014 - 07:00

Resultado menor que o de 2012 não preocupa empresa, que garante que planejamento será mantido

Por Tribuna

Compartilhar
 

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) registrou lucro líquido de R$ 3,1 bilhões no ano passado, o que representa queda de 27% em comparação com o valor alcançado em 2012. Segundo a empresa, o resultado não é motivo de preocupação, pois garante a gestão e a continuidade das operações conforme previsto pela diretoria.

Dados divulgados nesta segunda-feira (24) pela Cemig mostram que, em 2013, a receita líquida alcançou a cifra de R$ 14,6 bilhões, aumento de 3,47% em relação ao ano anterior, e o Lucro antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (Lajida) teve alta de 22,4%, atingindo R$ 5,2 bilhões. "A disponibilidade de caixa ficou em R$ 3,2 bilhões", informa o diretor de Finanças e Relações com Investidores, Luiz Fernando Rolla. "As cifras garantem a continuidade dos projetos da Companhia via execução do plano diretor e asseguram nossa política de dividendos e de gestão da dívida", analisa.

Nas contas do ano passado, o presidente Djalma Bastos de Morais ainda destaca os investimentos feitos em melhorias do sistema elétrico para prepará-lo para a Copa do Mundo, que somaram R$ 527 milhões. Segundo ele, a estratégia da Cemig de crescimento sustentável para agregar valor aos negócios se traduziu, ao longo do ano, em operações para proporcionar aos acionistas retorno dos investimentos."Tivemos a entrada no bloco de controle da Renova e a aquisição da Brasil PCH, a estruturação da Aliança Geração de Energia com a Vale e a transferência da TBE para a Taesa", enumera.

A Cemig é o maior grupo distribuidor de energia elétrica do país, responsável por aproximadamente 12% do mercado nacional, o segundo maior transmissor e o terceiro maior gerador, com um parque formado por 72 usinas hidrelétricas, térmicas e eólicas, com capacidade instalada de 7.142MW.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?