Publicidade

21 de Junho de 2014 - 06:00

Reincidência de reclamações motivaram reunião entre o órgão e a companhia esta semana

Por Tribuna

Compartilhar
 

A Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/JF) solicitou à Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) o estabelecimento de uma rotina de trabalho com atendimento eficiente aos consumidores. A reincidência de reclamações de juiz-foranos motivaram a exigência, que foi feita em reunião realizada com a gerência da companhia esta semana. Dados do órgão mostram que só em 2014 foram formalizadas 134 queixas contra a Cemig.

O superintendente do Procon/JF, Nilson Ferreira Neto, explica que entre as principais reclamações estão a perda e a danificação de produtos por conta de quedas de energia, a dificuldade do consumidor para conseguir atendimento junto à companhia e a falta de resolução de situações que já foram encaminhadas pelo órgão. "Convocamos a Cemig para uma reunião em que apontamos todas estas questões e solicitamos melhorias. Nosso intuito é conseguir a solução dos casos que foram atendidos e a diminuição dos problemas que chegam até nós."

Segundo Nilson, na maior parte dos casos em que há danos aos aparelhos, o consumidor enfrenta grande dificuldade para resolver a situação diretamente com a companhia. "Então ele mesmo arca com o conserto e, depois, tentar reaver o custo. Mas este processo também é complicado, desgastante e, quase sempre, não atinge resultado satisfatório."

Desta forma, ele explica que o Procon/JF propôs a criação de um canal de atendimento direto aos consumidores, a presença de responsável que possa realizar consertos de produtos danificados e melhor preparo dos representantes que participam das audiências conciliadoras. "Muitas vezes saímos da audiência sem nenhum acordo por conta da postura dos representantes", garante Nilson. Ele destaca que também foi solicitado um mecanismo de interlocução direto com o órgão. "Não só o consumidor, mas nós também temos dificuldades em nos comunicar com a companhia."

A Cemig, conforme informações do Procon/JF, teria se comprometido a rever os processos internos para identificar a motivação dos problemas mais reclamados. A companhia também teria feito relatório com as demandas e garantido a apresentação de soluções num prazo de 15 dias. A Tribuna tentou contato com a Cemig nessa sexta-feira (20), mas não conseguiu atendimento.

Reclamações

Os consumidores que quiserem atendimento do Procon/JF devem comparecer à sede da agência, localizada na Avenida Presidente Itamar Franco, 992, Centro. O atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30. É necessária a apresentação de carteira de identidade, cadastro de pessoas física (CPF) e documentos referentes à reclamação, como nota fiscal, contrato, fatura ou recibo.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?