Publicidade

21 de Março de 2014 - 07:00

Prestadores de serviço esperam retorno de investimentos feitos no terminal; Multiterminais comemora retomada

Por Bárbara Riolino

Compartilhar
 
Atividade marcou a retomada dos voos comerciais da unidade
Atividade marcou a retomada dos voos comerciais da unidade
Maioria dos passageiros aprovou transferência do voo, que antes partia do Serrinha, em JF
Maioria dos passageiros aprovou transferência do voo, que antes partia do Serrinha, em JF

O voo 2527 com destino ao aeroporto Tancredo Neves (Confins), em Belo Horizonte, da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, decolou na manhã desta quinta-feira (20), sem atrasos, do Aeroporto Presidente Itamar Franco, localizado entre Rio Novo e Goianá. A atividade marcou a retomada dos voos comerciais da unidade, parados desde junho do ano passado. Embora a maioria dos passageiros tenha aprovado a transferência do voo, que antes partia do Aeroporto Francisco Álvares de Assis (Serrinha), em Juiz de Fora, o clima entre os prestadores de serviço que atuam no terminal é de apreensão. Muitos ainda aguardam o retorno dos investimentos feitos em 2011, quando o aeroporto entrou em funcionamento.

"Ficamos um tempo sem receber voos, mas é importante lembrar que nunca deixamos de funcionar. O aeroporto recebeu voos particulares e atendeu outros cuja rota precisou ser desviada, como aqueles oriundos do aeroporto de Juiz de Fora e do Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Vamos acompanhar passo a passo esta retomada, que trará benefícios a todos, tanto para os usuários, como para moradores da região, além de dar continuidade ao desenvolvimento da Zona da Mata, a partir da centralização das atividades", ressalta o diretor da Multiterminais, empresa que administra o terminal, Denilson Duarte. Ele acrescenta que o foco agora é firmar o atendimento e os serviços ofertados, demonstrando o potencial do aeroporto para que novas companhias aéreas possam se instalar.

A aeronave do modelo AT72, com capacidade para 70 lugares, decolou às 10h11, quatro minutos antes do horário marcado, às 10h15, com 26 passageiros a bordo. O movimento interno e nas imediações do aeroporto era pequeno pela manhã. Entre os que aguardavam pelo embarque, parte faria conexão em Confins, e outra seguiria direto para a capital mineira. Em Juiz de Fora a negócios, o gerente comercial Juliano Marques, 36 anos, utilizava o aeroporto pela primeira vez e aprovou o sistema. "Foi tudo bem tranquilo, espero voltar mais vezes". Com destino a Goiás para visitar o filho, o casal Luiza Dias de Freitas, 54, e Paulo César de Freitas, 55, seguiam para fazer a conexão, mas por pouco, não se deslocaram para o local errado. "Só soube (o aeroporto correto) quando liguei para a companhia na segunda. A gente prefere ter a comodidade de sair de Juiz de Fora, mas a estrutura aqui está muito boa", disse ela. Na visão do professor universitário Telmo Ronzani, a transferência do voo terá mais segurança aos usuários. "Vai melhorar bastante o acesso para o município, uma vez que teremos a garantia de que o voo irá sair na hora certa, sem transtornos".

A Azul passa a ofertar, agora, duas operações diárias, partindo do Itamar Franco: às 10h15, nas segundas, quartas, quintas e sextas, às 10h45 nas terças, e às 18h35 durante toda a semana, exceto nos sábados. Partindo de Confins, os horários de saída são: 8h57, de segunda à sexta-feira, e às 17h19, durante a semana, exceto nos sábados.

 

Retomada

Com o carro parado na garagem durante nove meses, o taxista Fábio de Paiva Rezende teve que arranjar outro emprego para conseguir pagar o financiamento do veículo durante o período em que o aeroporto não funcionou. "Não pude nem rodar com o carro dentro da cidade, pois o alvará da licitação é destinado para a atuação no aeroporto. No voo de hoje (quinta), por exemplo, nenhum passageiro solicitou o serviço", comenta. "Foi muito investimento sem retorno. Espero que esta retomada não seja uma jogada política. Quando tínhamos três voos para Campinas (SP), chegamos a registrar um movimento regular, mas que não dava para pagar todas as contas", relata outro taxista, Ronaldo Ferreira.

Para o proprietário das três lanchonetes e de um dos guichês de locadora de carros presentes no aeroporto, Guilherme Ayres, o período resultou na demissão dos 17 funcionários que se atuavam nos quatro postos. "Para a retomada dos voos precisamos contratar nove funcionários, três para atuar na locadora e seis para se revezavam nas três lanchonetes. Esperamos que com o retorno dos voos, e a possível criação de novos horários, o movimento melhore". À frente da loja de artesanato da Associação dos Artesãos e Agricultores Familiares de Goianá (Afago), Lúcia Martins aguarda que as vendas de peças e doces cresçam. "É a nossa esperança, que nunca perdemos. Além dos passageiros, existem as pessoas que vinham visitar o aeroporto."

A prefeita de Goianá, Maria Elena Zaidem Lanini, comemora a retomada dos voos. "Estamos com a esperança renovada, pois vivemos um período bastante nebuloso, no qual todo o desenvolvimento e o crescimento foi interrompido. Esperamos não ser surpreendidos novamente". O vice-prefeito de Rio Novo, André Colombo, tem a mesma opinião. "Temos novamente um sopro de esperança, renovando a expectativa de sempre: que o aeroporto consiga se consolidar como um instrumento de logística seguro para atrair novos empreendimentos."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o resultado do PIB nos dois últimos trimestres vai interferir no resultado das eleições?