Publicidade

08 de Dezembro de 2013 - 07:00

Por Marina Sad

Compartilhar
 
Talma ergue o troféu com a rapazaida do Eldorado
Talma ergue o troféu com a rapazaida do Eldorado

Fim de ano é época de pelada. O clima de descontração impera na maioria delas, principalmente nas de casados contra solteiros. Porém, para a turma do Bairro Eldorado, o jogo é sério. O tradicional casados x solteiros deles tem numeração, técnico, banco de reserva e árbitro da Liga de Futebol de Juiz de Fora. Em 2013, a confraternização, sempre celebrada no segundo domingo de dezembro, completa 25 anos.

"É o mais tradicional jogo de casados e solteiros da cidade. Nesse ano teremos um diferencial: o placar geral está empatado, com 12 vitórias para cada time. O clima é de final", afirma o organizador do evento, Flávio Talma. Após o jogo, que será realizado às 10h, no campo do Clube dos Bancários, irá acontecer a confraternização acompanhada pela "resenha" regada a cerveja, refrigerante e churrasco para aproximadamente 130 pessoas.

A história deste casados e solteiros começou na década de 1980. Os moradores do Eldorado tinham um time que disputava competições na várzea de Juiz de Fora e região, o Cruzeirinho. "Em 1988 decidimos acabar com o time devido a compromissos profissionais". Talma e Vavá então tiveram a ideia de criar o casados contra solteiros para não perder a amizade de dentro de campo. "Quando começamos, não tínhamos filhos. Hoje, meu filho e o meu sobrinho já jogam no time dos solteiros", relata Talma.

Além disso, alguns jogadores já mudaram de time algumas vezes. O maior "vira-folha" da turma é o capitão da equipe dos casados, Gamonal. Ele começou a jogar pelo time dos solteiros, passou para o time dos casados, se separou e agora está novamente entre os casados. Um verdadeiro "cigano da bola".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?