Publicidade

24 de Maio de 2014 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

Depois de uma viagem de oito horas durante esta sexta-feira (23), o Tupi chegou a Mogi Mirim no fim da tarde e já está concentrado para a partida contra os donos da casa pela quinta rodada do grupo B da Série C do Campeonato Brasileiro. O duelo deste domingo contra o Sapão, às 16h, no Estádio Romildo Ferreira pode valer a liderança da chave, e o Tupi chega para o confronto embalado.

Depois de engatar duas vitórias em sequência em casa sobre o Guaratinguetá, por 1 a 0, e diante do Caxias, por 2 a 1, o Carijó chega tranquilo e confiante para encarar o líder invicto do grupo B, como diz o técnico Léo Condé. "A gente vai mais tranquilo para o jogo. Os jogadores adquiriram mais confiança, tranquilidade com os últimos dois resultados positivos. Isso faz com que as jogadas possam fluir de fora mais natural. Os treinos da semana aconteceram de forma mais tranquila. Consegue-se passar as informações de forma mais tranquila para os atletas quando eles não estão trabalhando sob pressão."

Mesmo assim, por conta do empate em 1 a 1 na primeira rodada com o Macaé, em Juiz de Fora, a cobrança por uma vitória já é forte. "Lembrei a eles que estamos devendo aqueles dois pontos que perdemos para o Macaé aqui no início da competição. Em algum momento vamos ter que conseguir um resultado, uma vitória fora de casa, para recuperá-los. Então vamos entrar em campo respeitando a equipe do Mogi Mirim, mas buscando já nesse jogo vencer", deseja Condé.

Pressão

Ciente do que seu time vai encarar domingo, o treinador acredita que sua melhor chance de surpreende o Mogi é na base da velocidade. "A equipe da casa procura sempre, de um modo geral, exercer uma pressão no início do jogo. Mas eles sabem também que, do lado de cá, tem uma equipe que começa a ganhar corpo, vai dar trabalho para eles. Temos jogadores velozes que podem encaixar um bom contra-ataque e nos preparamos durante a semana para essa possível pressão, para neutralizá-la, e também explorar alguns espaços que naturalmente um time deixa quando se expõe muito", planeja o treinador do Tupi.

Mesmo jogando contra um time que não vive dias tranquilos por conta das incertezas financeiras, o treinador do Carijó não espera vida fácil,e lembra que situação orçamentária do Tupi também não é das mais tranquilas. "O problema financeiro deles lá é bem menor que os nossos aqui. Eles têm estrutura, estádio próprio, centro de treinamento, categorias de base firmadas, tudo. O momento é de crise porque o presidente, Rivaldo, tem bancado cerca de R$ 300 mil mensais das despesas do time profissional e diz que se não conseguir um parceiro não vai mais fazê-lo. Isso é três vezes mais do que nosso orçamento. No entanto, eles e nós entramos em campo e conseguimos as vitórias independentemente do extracampo. Então, não estamos olhando o confronto como mais fácil ou mais complicado por conta disso", avalia Condé.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da adoção de medidas, como tarifas diferenciadas e descontos, para estimular a redução do consumo de água?