Publicidade

07 de Janeiro de 2014 - 21:57

Por Tribuna

Compartilhar
 
Raposa foi avassaladora nos dois primeiros sets
Raposa foi avassaladora nos dois primeiros sets

Apesar do apoio da galera que esgotou todos os 800 ingressos disponíveis, a Federal não conseguiu parar o atual campeão mundial, Sada/Cruzeiro, nesta terça-feira (7). Avassalador nos dois primeiros sets, vencidos por 21 a 11, e demonstrando tranquilidade no último (21 a 18), a Raposa venceu por 3 a 0. Com a vitória do Funvic/Taubaté sobre o RJ Vôlei, também por 3 a 0, a UFJF passa a ser a lanterna da Superliga Nacional, com apenas 8 pontos.

"Precisamos da vitória. Estamos em uma situação difícil que precisa ser revertida. Com todos os problemas que o Rio de Janeiro vem passando, ele agora é um adversário direto. Temos que vencer", afirmou o técnico Carlos Augusto "Chiquita". Para tentar se recuperar, o próximo desafio da Federal será justamente contra o RJ Vôlei, time de Eike Batista que está perdendo jogadores por falta de pagamento, no sábado, às 18h, na Arena UFJF.

 

O jogo

Apesar do início equilibrado, o Cruzeiro foi à primeira parada técnica em vantagem no placar (7 a 6) . Na sequência, o Cruzeiro conseguiu impor seu vôlei de força no ataque e, aproveitando-se dos dez erros do time da casa, abriu grande vantagem e, após um ace de Éder, fechou o set em 21 a 11.

No segundo tempo, o Cruzeiro mostrou que realmente não veio a Juiz de Fora para passear. Com uma boa sequência de saques do levantador Willian e dois bloqueios do central Isac, o time celeste abriu 5 pontos de vantagem: 7 a 2 na primeira parada técnica, sendo 4 pontos de bloqueio. Na pancada ou no talento, os pontos iam saindo a favor do Cruzeiro. Talvez inspirada pelo sucesso rival dos gramados, o Atlético-MG, a torcida da Federal puxou o canto de "Eu acredito", como nas vitórias do Galo na Libertadores. Mas não deu. Após uma pancada do venezuelano Dias, o Cruzeiro fechou o segundo set também em 21 a 11.

No terceiro set, a Federal começou com empolgação. Após boa sequência de Hugo no saque, abriu 5 a 0. O técnico Marcelo Rodolfo Mendez pediu tempo. Mesmo assim, com o bom entrosamento entre Gelinksi e o central Victor Hugo, a UFJF chegou à primeira parada com 5 pontos de vantagem. Mas o Cruzeiro renasceu, empatou o jogo de 10 a 10 e os juiz-foranos foram à segunda parada com a vantagem mínima. Mas não foi o suficiente. O Cruzeiro demonstrou maior tranquilidade e, após ataque de Douglas, fechou o set em 21 a 18, e o jogo em 3 a 0.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você participa das celebrações da Semana Santa?