Publicidade

12 de Janeiro de 2014 - 07:00

Por WALLACE MATTOS

Compartilhar
 
Fabiana Duarte se junta a equipe carioca para encarar prova de 500km em região inóspita no Sul do continenteFOTOS LARA TOLEDO/09-01-13
Fabiana Duarte se junta a equipe carioca para encarar prova de 500km em região inóspita no Sul do continenteFOTOS LARA TOLEDO/09-01-13

Participante de corrida de aventura há pouco mais de cinco anos, a juiz-forana Fabiana Duarte (KTM Bike/Studio FG3) parte amanhã para realizar um sonho. Nas primeiras horas do dia, às 7h de Brasília, a atleta local larga para competir no Desafio Aysén Verano 2014, uma das mais duras provas do continente sul-americano e que tem como base a cidade de Coyhaique, na Patagônia Chilena. Única mulher da única equipe brasileira classificada para disputar a competição, ela estará no time Harpya, do Rio de Janeiro, tendo a seu lado os cariocas Pedro Alex, Diego de Sordi e Fausto Silva.

Serão 500km de prova, e o prognóstico é que as primeiras equipes cruzem a linha de chegada após quatro dias de competição. O limite final é de cinco dias para que os times completem o percurso. A intenção e Fabiana e sua turma é chegar ao pórtico final sem serem eliminados. "Queremos completar a corrida. Essa é nossa primeira vez na prova, e as outras equipes brasileiras que já participaram nunca conseguiram completar de primeira, somente quando voltaram. Queremos quebrar isso. Assim, vamos estar atentos ao tempo limite de cada dia e para não perder postos de controle, mas também dando tudo para chegar na melhor colocação possível", explica a juiz-forana.

Durante o percurso, a atleta de Juiz de Fora pretende aproveitar cada momento de sua primeira experiência em provas internacionais de corrida de aventura, mas sabe que o que vai encarar não é nada do que já experimentou ou está acostumada. "Estou realizando um sonho em competir na Patagônia, um lugar de natureza exuberante, porém hostil. Acredito que nosso maior desafio será o frio. Apesar de ser verão, as temperaturas na região podem variar rapidamente de 3 a 35 graus. Também estaremos subindo e descendo quase todo o tempo. O trekking será muito exigente, podendo chegar a 2.000m de altitude em montanhas nevadas. E a canoagem acontecerá em rios gelados, o que será um desafio para nós, e no Oceano Pacífico", detalha Fabiana, que, ao lado de seus companheiros, está na área da prova desde a última sexta-feira para adaptação.
 

Primeiro degrau internacional

O período antes da largada serviu também para entrosar mais o time, já que esta é apenas a segunda prova de Fabiana na Harpya. "Participamos no mês passado da prova Brou Aventura, na Serra do Cipó, para entrosamento da equipe. Foi lá que ganhamos a inscrição dessa prova no Chile, com a vitória. Estamos conversando bastante e ansiosos para a reunião final com as equipes (que acontece na noite de hoje). A intenção é manter essa formação para as provas da temporada 2014 inteira."

Dedicada desde 2008 às corridas de aventura, Fabiana projeta um ano de evolução em busca das principais provas do mundo. "Já praticava esportes de aventura isoladamente antes. Mas foi há cinco anos que o Farinazzo (Marco) me levou para correr. Desde então tenho me dedicado a treinos frequentes de mountain bike e corrida e, nos fins de semana, combino essas modalidades com o remo. É um rotina solitária, pois não há outros atletas que praticam o esporte como eu, com os mesmos objetivos, mas está valendo a pena. Esse ano, com a Harpya, quero disputar as provas do Circuito Mundial de Corrida de Aventura, no qual essa que iremos correr vai entrar em 2015. O grande objetivo é participar da Patagônia Expedition, o maior desafio do planeta. Assim, considero essa prova como o primeiro degrau dessa escalada", projeta Fabiana.

Galeria de Imagens

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?