Publicidade

22 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Por JULIANA DUARTE

Compartilhar
 

Hora da virada

Muito mais que técnica e tática, acredito que o fator psicológico e a motivação são essenciais para o desempenho dentro das quatro linhas. Um dia ruim do goleiro ou atacante pode levar o time a um resultado negativo, mas pode também ser corrigido pela atuação dos companheiros. Um clima ruim ou um dia, semana ou fase psicologicamente fracos de uma peça pode contaminar o restante do elenco. Para mim esses fatores foram essenciais na queda de produção do time do Tupi nas duas últimas partidas - derrota para a Caldense, fora, e empate com o Villa Nova, em casa.

Hoje, o elenco carijó tem a chance de frear e reverter uma má sequência e arrancar rumo ao G4 do Campeonato Mineiro. Mais do que uma chance, acredito que o time tem toda a condição de conseguir uma vitória nesta tarde, diante de sua pequena, mas fiel torcida, contra o Nacional, penúltimo colocado na classificação.

As voltas do lateral-direito Henrique e do volante Maguinho, fora na última quarta-feira cumprindo suspensão, trazem mais opções em movimentação ao time, mas não só isso. Henrique, principalmente, é essencial ao time, pois, além de fazer diferença técnica e taticamente, é uma voz forte entre os jogadores.

Assim como o atacante Ademilson, uma liderança no elenco e uma referência para as arquibancadas. Ainda que no banco de reservas, a presença do ídolo carijó traz um enorme ganho de autoestima para o elenco. Espero que o técnico interino Lúdyo Santos saiba cutucar cada um de seus comandados e trazer de volta o nosso "Galo-Índio".

Ao juiz-forano não custa comparecer hoje ao Estádio Municipal para dar um empurrãozinho extra e ser parte dessa virada rumo à fase final do Mineiro.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você escolhe seu candidato através de: