Publicidade

26 de Abril de 2014 - 06:00

Por JULIANA DUARTE

Compartilhar
 

Desabafo

Muito estranho pensar que Juiz de Fora tenha sonhado receber uma seleção durante a Copa do Mundo, recepcionar milhares de turistas e até sediar um grande evento. Sonho impossível para quem sequer promove com sucesso um jogo de médio porte. Desorganização, irresponsabilidade e desrespeito foi o que presenciamos na última quarta-feira no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.

Já na venda de ingressos, a falta de definição de setor para cada torcida era um indício de problema. Na chegada ao estádio, faltava sinalização indicando portões específicos para carijós e tricolores. Na entrada, mais confusão: apenas uma roleta para entrarem os milhares de torcedores do Fluminense, que formaram uma quilométrica fila no portão do Dom Orione.

Faltaram planejamento e organização para prever tamanha quantidade de torcedores, principalmente do time tricolor. Consequentemente, a área reservada aos visitantes não suportou os presentes, que foram acomodados no espaço que seria da torcida local e sem policiais por perto. Total desrespeito à torcida carijó - que teve de se misturar à rival e ouvir gritos hostis, xingamentos e provocações - e ao Estatuto do torcedor - que tenta garantir a segurança durante o espetáculo.

Falharam a Prefeitura, a Liga de Futebol, a diretoria do Tupi e a Polícia Militar, que se reuniram para planejar o evento. Aplausos apenas para os torcedores carijós, que ouviram as provocações pacificamente, e ao time alvinegro - com vaga e estrutura de Série C do Campeonato Brasileiro -, que não se apequenou e enfrentou com garra uma equipe da Série A.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está fazendo pesquisa de preços para controlar o orçamento?