Publicidade

18 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Técnico e diretoria entram em choque, e Wilson Gottardo deixa o comando carijó após cinco partidas no Mineiro

Por Tribuna

Compartilhar
 
Decisão foi tomada na tarde desta segunda
Decisão foi tomada na tarde desta segunda

Os efeitos da reunião de avaliação da derrota do Tupi para a Caldense, por 3 a 0, no último sábado, em Poços de Caldas, foram grandes em Santa Terezinha. Depois do encontro entre a diretoria e o técnico Wilson Gottardo no fim da manhã desta segunda-feira (17), foi definida a saída do treinador do comando do Carijó. Nem os diretores nem o agora ex-comandante do clube juiz-forano quiseram entrar em detalhes sobre o que causou a mudança depois de cinco jogos, com duas vitórias, um empate e duas derrotas, e com a equipe em quinto lugar da primeira fase do Campeonato Mineiro de 2014.

Presente antes do treino da tarde no Estádio Municipal, ao lado do auxiliar-técnico Valteir Gomes, que também deixa o clube, Gottardo se despediu do grupo rapidamente e atendeu a imprensa. "O trabalho era bom, vinha evoluindo em várias questões, até mesmo na área psicológica, mental, na qual estávamos tentando fortalecer os atletas. Minha saída não tem nada a ver com as questões de dentro do campo. Apenas algumas divergências, fiz algumas considerações (na reunião com a diretoria), pontuei algumas situações que achava importante para minha permanência, e como os diretores não acharam interessantes, me desliguei", disse o ex-treinador, que preferiu não revelar quais foram suas considerações. "Foram divergências irreversíveis", afirmou.

O diretor-executivo de futebol do Carijó, Alberto Simão, confirmou as demandas de Gottardo como o motivo do desligamento do técnico. "O Tupi mantém seu planejamento. O clube tem sua maneira de trabalhar, sabe onde quer chegar e tem seus objetivos. No dia de hoje (segunda), o Wilson (Gottardo) fez algumas solicitações ao clube, que a diretoria não achou pertinentes e, de comum acordo, achamos melhor interromper esse trabalho. Agradecemos os serviços prestados, mas clube e treinador vão seguir caminhos diferentes", disse.

 

Interino

Segundo Simão, o clube procura um novo treinador, mas terá um técnico interino no compromisso diante do Villa Nova, nesta quarta, às 20h30, no Estádio Municipal, e provavelmente contra o Nacional de Muriaé, no sábado, às 16h. "Quarta-feira o time será dirigido pelo auxiliar da comissão permanente do clube, Lúdyo Santos. Ele é funcionário do clube, acompanha o trabalho desde o início na pré-temporada e tem o grupo na mão. Vamos em busca desses 6 pontos em casa para pensar depois qual nosso papel no campeonato", disse Simão, sem se estender sobre um possível alvo. "Não há nenhum nome certo, mas sabemos os que estão disponíveis. Não temos essa competitividade de tirar treinadores empregados em outras equipes, mas vamos avaliar. Em princípio, a comissão permanente segue esse trabalho, e vamos avaliar se contratamos alguém ou seguimos com ela até o final do Mineiro", completou.

 

 

Wesley retorna ao Carijó

Depois de uma passagem curta pelo futebol de Goiás, onde atuou com o técnico Felipe Surian no Anápolis, o centroavante Wesley está de volta ao Tupi. O jogador chegou na manhã desta segunda a Santa Terezinha e já trabalhou com o elenco. O atleta chega para suprir a falta de atacantes no grupo do Carijó, já que Juninho, contratado como reforço para o Mineiro, retornou ao Boavista, seu clube de origem, e Ademilson, contundido, está fora dos gramados por pelo menos mais uma semana.

Como estava trabalhando em Goiás, o atacante se disse pronto para atuar pelo Carijó amanhã mesmo. "A diretoria foi rápida, já assinamos tudo, e a documentação já foi para a Federação Mineira. O time pode contar comigo para quarta-feira. Quero muito ajudar. Chego em um momento de troca de treinador, com o time vindo de uma derrota, mas é um desafio que quero encarar e colaborar para que o clube se recupere", deseja o jogador.

Wesley Iury Nascimento Silva tem 24 anos e é cria da base do América-MG. O centroavante atuou pelo Tupi durante todo o ano de 2013 quando, no Campeonato Mineiro, se tornou a principal alternativa para vestir a camisa 9 com as ausência em sequência do ídolo carijó Ademilson, por conta de algumas lesões.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?