Publicidade

09 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Aprendizes das artes marciais antigas vivenciam em Juiz de Fora a filosofia de vida e as técnicas de luta dos lendários guerreiros do Japão feudal

Por PEDRO BRASIL

Compartilhar
 
Bernardo e Ivan demonstram as técnicas do kenjutsu no Morro do Imperador
Bernardo e Ivan demonstram as técnicas do kenjutsu no Morro do Imperador

O cinema afirma que o "Último samurai" foi Tom Cruise, no filme de 2003, dirigido por Edward Zwick. Mas, apesar de ter mais de 700 anos de idade, o código de honra e ética dos japoneses feudais, o bushido - ou o "caminho do guerreiro" - ainda é utilizado na modernidade. Além da filosofia, os samurais modernos também aprendem a lutar como os antigos guerreiros, por meio da combinação do treinamento com a espada samurai e a vivência do bushido. Além dos fundamentos de justiça, coragem, benevolência, educação, sinceridade, honra, lealdade, o "caminho do guerreiro" também se manifesta pelas artes marciais antigas, ou kobudo. E Juiz de Fora já tem seus adeptos.

"O bushido tem influência muito forte sobre a identidade cultural japonesa, seja na disciplina, lealdade ou hierarquia, entre outros aspectos. Ele molda, de forma geral, a postura ética do povo japonês." A frase é do servidor público Ivan Santos, que há quatro anos, quando ainda morava em Belo Horizonte, conheceu o bushido por meio do Instituto Niten. Hoje ele propaga os ensinamentos do sensei Jorge Kishikawa, fundador do instituto, em Juiz de Fora, e garante que a prática da filosofia resultou em uma verdadeira mudança de vida. "Me tornei uma pessoa mais forte. Profissionalmente, controlei minha ansiedade, tenho mais autocontrole", garante.

Para o biólogo belo-horizontino Bernardo Carvalho Ferreira, que visitou Juiz de Fora na última semana e há sete anos entrou no "caminho do guerreiro" em Belo Horizonte, é difícil explicar a transformação que os ensinamentos fizeram em seu cotidiano. "Entrei de cabeça, me transformei. Virei uma pessoa melhor. Levo tudo o que aprendi para diversos pontos da minha vida: disciplina, noção de hierarquia e de responsabilidade, ética, além da diferença no condicionamento físico, apesar de isso ser menos importante", destacou.

Esporte

A mais conhecida (e difundida) das artes do kobudo é o kenjutsu, a arte de combate com espadas criada pelos samurais no Japão feudal. É considerada a luta de espadas clássica, a arte marcial que transmite mais fielmente os ensinamentos dos samurais . O kenjutsu é praticado com espadas de madeira (shinai) e também com armaduras de proteção (bogu). Estes equipamentos possibilitam que sejam exercitadas as técnicas sem o risco de ferimentos. Durante a luta, os golpes são anunciados e contínuos, simulando o que, no passado, seriam lutas mortais.

A partir desta técnica, com algumas adaptações, surgiu outra arte marcial, descendente do kenjutsu: o kendo, uma das mais praticadas no Japão e considerada a "esgrima japonesa". As competições de kendo são travadas em um pátio (shiajo), que tem uma cruz marcada no centro. Os lutadores devem permanecer no shiajo durante todo o combate e, antes e após a luta, cumprem a etiqueta tradicional dos samurais, isto é, se cumprimentam. As lutas duram 5 minutos, e o primeiro a marcar 2 pontos vence. Pode haver um tempo extra de 3 minutos se não houver um vencedor na etapa inicial. Neste caso, quem marcar 1 ponto vence, no estilo "morte súbita". er considerado válido, o ponto é concedido ao se "cortar" uma das sete áreas permitidas com o terço superior do shinai (três na cabeça, duas na cintura, duas na lateral do corpo), ou ao pressionar a garganta com o topo da espada de madeira. Além disso, os lutadores devem anunciar, com gritos, quais golpes estão sendo aplicados e/ou recebidos. Um árbitro chefe e dois assistentes marcam os pontos - um ponto é registrado quando pelo menos dois deles acenam que o golpe foi limpo.

Outras

Existem muitas artes marciais antigas, mas além do Kenjutsu, destacam-se outras duas modalidades: o iaijutsu e o jojutsu. O iaijutsu é a arte "do saque da espada" em combate. É composto por katas (sequências de movimentos) originados na época dos samurais e que ensinam como desembainhar a espada e vencer os oponentes. É praticado com a espada de metal e, na antiguidade, tinha como objetivo finalizar o rival com um único ataque.

Já o jojutsu é uma luta de dominação. Jo é um bastão de madeira de 1,28m. Essa técnica era utilizada pelos samurais para dominar um adversário com espada e outras armas sem precisar matá-los. Por possibilitar a vitória sem derramamento desnecessário de sangue, ficou conhecida como "a arte samurai da paz".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?