Publicidade

23 de Março de 2014 - 06:00

Por WALLACE MATTOS

Compartilhar
 
Paulo César Magella é um dos 382 radialistas biografados em obra que será lançada amanhã em Belo Horizonte
Paulo César Magella é um dos 382 radialistas biografados em obra que será lançada amanhã em Belo Horizonte

Grandes nomes do passado e do presente da história das transmissões e programas esportivos radiofônicos de Minas Gerais agora têm seus perfis reunidos em uma só obra. Será lançada amanhã, no Mineirão, às 19h, a "Enciclopédia do rádio esportivo mineiro", com biografias de 382 radialistas que mexeram e ainda hoje mexem com a emoção dos torcedores com narrações, apresentações e reportagens diretamente da latinha. Entre os biografados estão os juiz-foranos Paulo César Magella (editor-chefe da Tribuna), Fernando Luiz Baldioti, Geraldo Magela, Ivan Costa, Mário Helênio, Márcio Guerra, Rogério Correa, Guilherme Mendes, Ricardo Wagner e Leopoldo Siqueira.

Organizado pelas jornalistas Nair Prata, da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), e Maria Cláudia Santos, da Rádio Itatiaia, o livro contou com a participação de 101 autores, entre professores, pesquisadores, profissionais de mercado e estudantes de graduação e pós-graduação. A professora universitária Maristela Rocha e a jornalista Camila Pravato foram responsáveis pela maioria das biografias dos radialistas juiz-foranos - Guilherme Mendes, Ricardo Wagner e Leopoldo Siqueira já estavam sendo biografados por autores de fora da cidade.

Segundo Camila, a obra, que sai pela Editora Insular, com capa do jornalista e chargista Son Salvador e prefácios do presidente da Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE), Luiz Carlos Gomes, e do vice-presidente da Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) e diretor-presidente da Rede Itatiaia de Rádio, Emanuel Carneiro, levou quase quatro anos para ficar pronta. "O levantamento começou em setembro de 2010, e a produção e publicação do livro, a partir de novembro de 2013. No começo da pesquisa, o planejamento era biografar em torno de 250 radialistas esportivos de Minas Gerais. Por fim, foram 382 biografados, abrangendo radialistas vivos e falecidos, aposentados e na ativa, jovens e idosos, homens e mulheres, profissionais de microfone e dos bastidores. Todos eles com atuação no rádio esportivo de mineiro."

Editor-geral da Tribuna e diretor de conteúdo da Rádio Solar, Paulo César Magella acredita que sua presença, como a de outros juiz-foranos, é um prêmio ao trabalho e também à dedicação dos veículos de fora da capital de Minas Gerais. "Fico lisonjeado em receber tal homenagem. Afinal de contas, é um reconhecimento não só ao que fiz quando narrador mas também ao rádio do interior mineiro, que sempre acompanhou, em igualdade de qualidade com as equipe de Belo Horizonte, fazendo um esforço muito grande para isso, momentos marcantes do esporte nacional", considera Paulo César, narrador esportivo nas décadas de 1980 e 1990 pela Solar, e que permanece no ar, mas agora com o programa "Ronda Policial".

Homenageados

Para o professor universitário e comentarista da Rádio Solar AM, Márcio Guerra, fazer parte da "Enciclopédia do rádio esportivo mineiro" é um reconhecimento a sua trajetória de militância como radialista esportivo, carreira iniciada em 1975 e que dura até hoje. "É uma alegria muito grande saber que uma vida inteira de trabalho profissional, principalmente no rádio, se reconhece com esse verbete. De uma certa forma, meu nome vai ser lembrado para as futuras gerações e é uma forma de as pessoas saberem e conhecerem toda a dedicação e amor que sempre tive por esse veículo", considera o jornalista, que trabalhou também na Rádio Nova Cidade.

Olhando para trás, Paulo César destaca a grande qualidade dos antigos narradores do rádio juiz-forano. "Como tinha gente boa narrando futebol. Com alguns deles tive o prazer de dividir a cabine, acompanhando os jogos. A nova geração também tem valores de qualidade, não quero desqualificá-la aqui, mas dá saudade daquele tempo." Segundo Márcio Guerra, as melhores lembranças de sua trajetória como jornalista esportivo também estão ligadas a seus companheiros e mestres, além de seus pupilos e alunos. "Quando olho para trás agradeço a oportunidade de ter trabalhado e aprendido muito com pessoas como Dirceu Costa Ferreira, João Batista de Paula e Mário Helênio, por exemplo. Também sou grato em ter a oportunidade de contribuir e estar ainda contribuindo para a formação de novos radialistas esportivos, cumprindo meu papel de renovar essa que é uma das minhas paixões."

Os homenageados acreditam que a obra não é um livro definitivo. "Creio que essa enciclopédia sempre vai continuar em aberto, pois ainda tem muita gente boa fazendo e por fazer a história do radialismo esportivo em Minas Gerais", diz Guerra. "Esta tem que ser uma obra dinâmica, sempre a ser atualizada. Vão surgindo novos talentos e já existem valores jovens que merecem destaque para serem incluídos. É uma renovação que esperamos sempre acontecer ao longo do tempo", deseja Paulo César.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da liberação da maconha para uso medicinal?