Publicidade

11 de Fevereiro de 2014 - 07:00

UFJF joga no ABC as últimas fichas pelo sonho de classificação para os playoffs da Superliga

Por Tribuna

Compartilhar
 

Depois de começar a sequência de dois duelos fora de casa em quatro dias com derrota, no último sábado, para o Moda/Maringá, por 3 sets a 2, no Paraná, a UFJF faz o segundo compromisso da série nesta terça-feira (11), às 20h30, no ABC Paulista, contra o São Bernardo. Ainda na lanterna da Superliga, com 13 pontos e quatro vitórias, os juiz-foranos, que viajaram diretamente do interior paranaense para São Paulo, jogam praticamente todas as suas fichas nesse confronto com o oitavo colocado, com 23 pontos e oito triunfos.

Segundo o técnico da Federal, Carlos Augusto "Chiquita" Oliveira, o único resultado que interessa aos locais para ainda ter esperanças de poder lutar por uma vaga nos playoffs da Superliga é uma vitória de 3 pontos - por 3 sets a 0 ou 3 a 1 -, caso contrário, a briga será mesmo somente para não terminar a primeira fase na última posição e ser rebaixado diretamente. O treinador aposta no momento de crescimento da equipe local, que venceu dois dos últimos três confrontos e fez uma partida equilibrada com o Maringá, para conseguir voltar a Juiz de Fora com pelo menos 4 pontos em dois jogos longe de seus domínios. "Temos que ganhar e ganhar bem se quisermos manter a chance de classificação. Esse jogo contra o São Bernardo define nosso futuro. Não podemos titubear", disse o comandante da UFJF.

Para Chiquita, sua equipe vem jogando bem nas últimas partidas, e nem mesmo a derrota para os paranaenses quebrou o padrão de atuação que foi iniciado na vitória por 3 sets a 2 sobre o Vivo/Minas, em Belo Horizonte, no dia 29 de janeiro, e foi mantido no triunfo em casa em cima do Funvic/Taubaté em novo 3 a 2, no dia 1º deste mês. "Ganhar um ponto em Maringá não era má ideia, e nós conseguimos. A equipe se comportou bem, com uma consistência boa, e conseguimos manter um padrão de jogo durante toda a partida. Aliás, nos últimos três jogos tem sido desse jeito, e esperamos continuar assim", deseja.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?