Publicidade

26 de Janeiro de 2014 - 07:00

Por WALLACE MATTOS Repórter

Compartilhar
 
Núbio Flávio, ex-América, reencontra o CoelhoLEONARDO COSTA
Núbio Flávio, ex-América, reencontra o CoelhoLEONARDO COSTA

Encerrando o primeiro dia de jogos do Campeonato Mineiro 2014, o Tupi faz hoje sua estreia na competição. Em Belo Horizonte, às 19h30, no Independência, o Carijó encara o América-MG, time que se pode chamar de inimigo íntimo dos juiz-foranos. Como se não bastassem os sempre equilibrados embates com o Coelho, principalmente nos últimos anos, a equipe de Juiz de Fora atualmente conta com sete jogadores que já atuaram com a camisa da agremiação belorizontina, seja entre os profissionais ou ainda nas categorias de base.

O goleiro Jordan, que ainda pertence ao Coelho, foi vetado do jogo por conta de uma cláusula em seu contrato de empréstimo ao Carijó que o impede de atuar contra o América. Também já estiveram nas fileiras do time do Horto o zagueiro Fabrício Soares; o lateral-esquerdo Elivélton; o meia Miguel; os atacantes Núbio Flávio e Da Silva, todos titulares esta noite. Completa a lista o meia juiz-forano Raphael Toledo, que também compõe o elenco alvinegro e teve passagem pela base americana. Por isso, além de marcar a estreia de ambas as equipes no Estadual deste ano, o primeiro confronto entre os dois times no reformulado Independência tem tudo para ser mais do que especial.

Titular do Tupi desde a última temporada, Núbio Flávio se firmou rapidamente como uma das referências do time de Santa Terezinha. Jogando pela primeira vez contra seu ex-clube, o atacante não esconde que a partida será incomum. "Primeira vez que jogo contra eles, então é uma situação diferente. Vai ser legal. Hoje tenho que defender minha camisa, que é a do Tupi, e vou tentar isso dando meu melhor. Quem vai fazer gol não importa muito. Mas se tiver que empurrar para dentro, vou empurrar com todo o prazer", garante.

Experiente, Fabrício Soares conhece bem como costuma atuar o Coelho em seus domínios e sabe que segurar o ímpeto dos americanos é importante para que o Tupi não sofra um revés hoje. "Temos que estar bem atentos e concentrados. Joguei pelo América e sei de sua força em casa. Temos que ser inteligentes. Eles têm um poder ofensivo grande e vão partir para cima. Se a gente conseguir se posicionar bem na marcação e encaixar os contra-ataques na hora certa, vamos fazer um bom jogo e conseguir gols", prevê o zagueiro.

Talvez o jogador que mais esteja ansioso pelo apito inicial seja o jovem Miguel. O meia de 20 anos chegou a Juiz de Fora ainda na reta final da Série D de 2013, vindo das categorias de base do América, mas não podia mais ser inscrito na competição nacional pelo Carijó. De lá para cá, treinou forte, ganhou espaço na equipe e fará sua primeira partida como jogador profissional justamente contra o clube que o formou. "Não esperava ter esse primeiro jogo como profissional contra meu ex-clube. Foram seis anos da minha vida lá, na base, e sempre vai ser um encontro especial. Tenho um carinho muito grande pelo clube, porque me ajudou muito, mas hoje defendo o Tupi e é essa camisa que tenho que honrar, fazendo de tudo para que possamos sair vencedores de campo", garante o jogador.

Motivados

Com o elenco recheado de ex-americanos, o técnico do Tupi, Wilson Gottardo, utilizou seus comandados como fonte de informação. "Isso pode se tornar motivação ou inibir. Depende de qual o sentimento o atleta tem pelo América: se é de gratidão ou de revolta. Conversei com alguns, busquei informações, até porque eles conhecem alguns atletas de lá das categorias de base, e senti que eles estão com a motivação em alta", constata Gottardo. Fabrício Soares concorda: "Você ter passado pelo clube até te motiva mais. Hoje o América está em um patamar acima do Tupi, disputa a Série B. Isso tudo dá motivação para quem passou por lá tentar voltar, e quem deixou uma má impressão, arrumar isso."

Para o confronto com o Coelho, o Carijó tem apenas o desfalque do goleiro Jordan, por força de contrato, e terá Gonçalves no gol, já que Douglas Borges não está completamente recuperado depois de sofrer uma contusão no ombro direito, devendo ficar no banco de reservas. Segundo Gottardo, não existe problema na troca. "Estou muito satisfeito com o desempenho dos goleiros que temos. Acredito que todos os três estão no mesmo nível. O Gonçalves treinou toda a semana e tem nossa total confiança. Está tão bem nos trabalhos que até proposta para sair já teve. Então, assume a condição de titular com naturalidade", avalizou o treinador.

Com Obina

Do lado do América, a principal dor de cabeça do técnico Silas é a lateral-direita. Com uma fratura pro estresse na perna direita, o titular Elsinho está fora da estreia. Seu substituto imediato, o jovem Bernardo, revelado nas categorias de base do Coelho, não teve bom desempenho durante a semana. Os volantes Diego e Leandro Guerreiro, este último com mais desenvoltura, foram testados na posição, mas o treinador não definiu quem será o escolhido. O restante do time está escalado, e a grande atração do jogo pelo lado americano é a estreia do folclórico centroavante Obina, que teve passagem destacada por Flamengo, Palmeiras e Atlético-MG e estava no Bahia no último Campeonato Brasileiro. O jogador foi recebido com festa pela torcida em Belo Horizonte e é a esperança de gols do time do Horto em 2014.

Galeria de Imagens

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?