Publicidade

16 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Por WALLACE MATTOS

Compartilhar
 
Pedro, Rafael, Alline, Marcos, Leonardo e Gabriel estão prontos para tudoLARA TOLEDO
Pedro, Rafael, Alline, Marcos, Leonardo e Gabriel estão prontos para tudoLARA TOLEDO

Um grupo de juiz-foranos está no centro do continente americano para um desafio e tanto. Seis atletas da equipe local Saúde Performance disputam hoje o Ironman 70.3 Panamá, na Cidade do Panamá, a partir das 9h30 de Brasília, 6h30 do horário local. Na competição, os atletas vão nadar 1,2 milhas (2km) no Oceano Pacífico, pedalar 56 milhas (90km) e correr 13,1 milhas (21km), até cruzar a linha de chegada, após as 70.3 milhas que dão nome ao evento que distribuirá US$ 75 mil em prêmios.

O time local terá defendendo suas cores seu criador e técnico, Marcos Hallack, na faixa etária de 35 a 39 anos. Além dele, somente Leonardo Poncinelli (45 a 49 anos) já participou de uma prova de Ironman 70.3. Os outros quatro integrantes da delegação juiz-forana são estreantes na distância e, entre eles, está a única mulher, Alline Miranda (35 a 39 anos). Completam a turma da Saúde Performance Pedro Ivo (25 a 29 anos), Rafael Stambassi (25 a 29 anos) e Gabriel Galil (18 a 24 anos).

Segundo Hallack, seus pupilos estão prontos para o desafio, mesmo que, em sua maioria, a equipe seja formada por estreantes. "É uma prova grande, e estamos indo com quatro estreantes. A preparação deles exigiu uma cautela maior, um comprometimento maior, até mesmo na questão mental, que pesa principalmente para quem está fazendo pela primeira vez. Treinamos desde o ano passado, engrenando em dezembro e, no início de janeiro entramos focados nos treinos. Estão todos preparados para terminar a prova, que é o principal objetivo quando se trata de um meio-ironman", avalia.

Com a vaga assegurada no Mundial de Ironman 70.3, em setembro, no Canadá, desde o fim do ano passado, quando foi quinto na etapa de Cozumel, no México, Hallack acredita que pode subir ao pódio. "Meu foco esse ano é o Mundial, pois já tenho a vaga assegurada. Então, essa prova agora foi uma maneira de entrar forte o ano. Estou pedalando melhor do que estava em 2013, mais consciente do que tenho que fazer com a experiência do México e sei que minha corrida pode sair muito melhor do que lá. A expectativa é sempre terminar a prova, mas acredito na possibilidade de subir ao pódio em minha nova categoria, a 35 a 39 anos, talvez a mais disputada e com o maior número de atletas das competições de meio-iron", explica.

Principiantes

Primeira mulher juiz-forana a fazer uma prova de Ironman 70.3 fora do país, Alline Miranda, que há um ano treina triathlon, recebe apoio das companheiras de treino e, mesmo sem se impor muita pressão por resultado, espera defender bem a honra das praticantes do esporte na cidade. "Estou recebendo muito incentivo das meninas. Todas falando que gostariam de ser eu, que tenho muita coragem. Realmente é um ato de muita coragem, mas gosto de grandes desafios. Estou muito motivada, sem grandes expectativas de tempo, mas com grande expectativa de terminar bem a prova, representando as mulheres de Juiz de Fora que treinam duro. Acredito que vou abrir portas", prevê.

No triathlon há dois anos, Pedro Ivo fará sua primeira viagem internacional para competir. Já no clima para a disputa, o juiz-forano se sente como um atleta profissional. "É uma chance de cumprir a mesma distância que os grandes do esporte cumprem, claro que não tão rápido, mas dá para sentir um gostinho bem próximo de ser um profissional. A intenção é completar e completar bem. Sei que não estou no nível dos grandes triatletas, não dá para fazer um excelente tempo, mas quero cruzar a linha de chegada", deseja.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?