Publicidade

11 de Abril de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Condé analisa elenco com a comissão técnicaFELIPE COURI
Condé analisa elenco com a comissão técnicaFELIPE COURI

Termina com o treinamento de hoje pela manhã a primeira semana de trabalho do técnico Léo Condé à frente do Tupi. Amanhã, às 16h, o novo comandante do Carijó testa pela primeira vez seus atletas, no jogo-treino contra o Boa Esporte, que se prepara para a disputa da Série B, no Melão, em Varginha.

Apesar de saber que ainda está em fase de conhecimento do elenco, Condé teve boas primeiras impressões do grupo. "De um modo geral, estou satisfeito. Mas sabemos da dureza da Série C. Esse primeiro momento foi mais de observação para, na semana que vem, a gente já montar a equipe para a estreia da Série C ou para o jogo da próxima fase da Copa do Brasil. Já deu para ver que pegamos um grupo determinado, jogadores jovens em sua maioria, buscando seu espaço. Em algumas posições ainda temos carências e estamos conversando com a diretoria para conseguirmos nos reforçar, mas, em compensação, em outros setores temos boas opções", considera o treinador.

O técnico tem bem claras em sua mente as carências do Carijó e já trabalha ao lado de diretoria para tentar saná-las. "De imediato, estamos quebrando mais a cabeça na busca por um atacante e mais um ou dois meias. Nas demais posições, vamos observar. Temos esse amistoso de sábado para que a gente possa ver a maioria dos jogadores mais de perto em uma situação de jogo e, a partir daí, podemos sentir alguma outra necessidade", explica o comandante, que deve ganhar, na próxima semana, o reforço do meia Michel, que está acertado verbalmente, só esperando o cumprimento de seu vínculo com a Caldense.

Atualmente, o grupo carijó conta com 28 atletas participando dos treinos, como o de ontem à tarde no campo do Instituto Granbery, mas deve ser modificado, com chegadas e saídas. Mas o número atual de jogadores é considerando perto do ideal pelo treinador. "Minha ideia é trabalhar com 27, 28 atletas. Apesar de ser uma competição longa, não há muitas partidas. São 18 jogos, a princípio, contra 38 das séries A e B, por exemplo. É um número de partidas razoável, mas que requer um plantel um pouco mais encorpado. Precisamos de, pelo menos, dois atletas por posição para que, caso venhamos a perder alguém por lesão ou cartão, tenhamos boas opções."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprova o retorno de Dunga para o comando da Seleção Brasileira?