Publicidade

13 de Maio de 2014 - 06:00

Tupi comemora a primeira vitória na Série C, mas já pensa no próximo adversário

Por Tribuna

Compartilhar
 
Técnico Léo Condé quer mais vitórias antes da paralisaçãoFELIPE COURI
Técnico Léo Condé quer mais vitórias antes da paralisaçãoFELIPE COURI

A primeira vitória do Tupi na Série C do Campeonato Brasileiro de 2014, por 1 a 0, sobre o Guaratinguetá, no último sábado, no Estádio Municipal, em Juiz de Fora, trouxe alegria ao elenco, um certo sentimento de alívio, mas não tranquilidade completa aos carijós. O Alvinegro de Santa Terezinha terá novo compromisso em casa no próximo sábado, contra o Caxias, na quarta rodada do grupo B da Terceirona, e mais uma vez não pode pensar em perder pontos. A vitória também diante dos gaúchos é considerada fundamental para o Carijó conseguir uma sonhada tranquilidade na competição nacional.

Segundo o técnico do Tupi, Léo Condé, conquistar os três pontos foi importante no fim de semana, mas sua equipe ainda tem que vencer mais jogos para estar segura quando a competição for interrompida, entre os dias 1º de junho e 18 de julho, para a disputa da Copa do Mundo. "Foi de suma importância essa vitória de sábado, contra um grande adversário, que, apesar de estar embaixo na classificação deve subir no decorrer da disputa. Nos proporciona uma respirada, mas precisamos ainda de umas duas vitórias antes da parada para termos uma certa tranquilidade", avalia o treinador do Carijó que, além do Caxias, enfrenta o Mogi Mirim, fora de casa, no dia 25 de maio, e recebe o Madureira no dia 31 do mesmo mês.

Agradou

Depois de trocar quatro titulares e mexer na posição de outros dois jogadores, Condé avalia que as mudanças na equipe deram certo. Mas, embora tenha gostado do que viu em campo, o treinador sabe que seu time tem que evoluir bastante. "Tínhamos que arriscar, modificar alguma coisa pois não estava caminhando como queríamos. Fizemos as alterações, ganhamos em experiência, maturidade. Marcamos bem, principalmente um time de qualidade como Guaratinguetá, praticamente não tiveram uma chance clara de gol, mas acho que ainda temos muito a melhorar. Nossa transição da defesa para o ataque ainda está com muitos erros de passe, precisamos ficar um pouco mais com a bola, rodar o jogo para descansar com a posse. São situações de jogo que precisamos evoluir e o conjunto, que só vem com o tempo e os jogos mesmo", considera.

Condé mexeu no posicionamento de Henrique da lateral-direita para o meio de campo, com a entrada de Marcelinho na defesa. A troca deu frutos, o jogador marcou o gol da vitória do Carijó e tanto comandante como comandando comemoraram. "O Henrique se manteve no time, mas o mudei de posição para jogar mais adiantado. O intuito era de explorar mais sua ofensividade. Deu certo", festejou o treinador. Para Henrique, atuar mais adiantado é bom, mas o atleta não se apega ao posicionamento e quer contribuir para o sucesso da equipe. "Além de atacar, também tive responsabilidade defensiva que consegui executar. Nessa posição que joguei gosto bastante de atuar, mas o que quero é estar jogando e ajudando o time a vencer. Independente do gol, a intenção era criar também oportunidades para os companheiros. Graças a Deus consegui fazer isso. Fui feliz e pude ajudar o Tupi a sair de campo com a vitória, balançando as redes, o que é melhor."

Machucado

O zagueiro Marcelinho, substituído no intervalo da vitória do Tupi no último sábado pelo meia Ewerton Maradona por conta de dores na coxa direita começa a semana preocupando o departamento médico. O jogador fez tratamento com gelo durante o último domingo e fisioterapia em dois períodos ontem. Ele será reavaliado hoje pelo médico do clube, José Roberto Maranhas, e deve passar por um exame de imagem para saber se há lesão no músculo adutor da coxa direita e qual a sua gravidade.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você escolhe seu candidato através de: