Publicidade

10 de Dezembro de 2013 - 07:00

Por *PEDRO BRASIL

Compartilhar
 

Por uma 'organizada'

Após a última rodada do campeonato brasileiro, tudo o que se espera de um "colunista de esporte" é a análise da competição. O título, os classificados para a Libertadores ou os motivos que culminaram no rebaixamento de Vasco e Fluminense, no caso desse ano específico. Infelizmente, isso não vai acontecer. Terei que abrir mão daquilo que mais gosto de fazer - conversar, discutir e escrever sobre futebol - para falar de outro assunto.

O que vimos no último domingo, com transmissão ao vivo, na Arena Joinville é algo que nos faz parar para pensar no homem como "animal racional". Não dá para chamar dessa forma quem age daquela maneira. Porém, há mais problemas entre o incidente e a Copa do Mundo do que imagina a vã filosofia.

O não policiamento dos estádios em Santa Catarina é uma insanidade. Era uma tragédia anunciada. Todos sabemos que existem bandidos infiltrados nessas torcidas e, - diferentemente do que pregam - sugam até a última gota do time. Vivem de venda de ingressos, camisas, faixas. Criam marcas às custas dos seus clubes. Não dão dinheiro ao clube. Só tiram.

Ao mesmo tempo, não sou daqueles que prega pelo fim das torcidas. Toda generalização é burra. Quem já foi algumas vezes em qualquer grande estádio sabe que são esses caras que puxam os gritos, os cantos. Sim, acho que eles fazem parte da festa. Acredito que existem torcedores e bandidos nas "organizadas". Só é preciso separá-los.

É urgente a necessidade de cadastramento dos integrantes dessas torcidas. Organizá-las de fato. Assim, a identificação e prisão dos animais infiltrados poderá ser feita. Tecnologia para isso nós já temos, principalmente nas novas arenas. Mas será que teremos vontade política?

*Wallace Mattos volta a escrever neste espaço em janeiro

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?