Publicidade

17 de Dezembro de 2013 - 09:39

Por Pedro Brasil

Compartilhar
 

Não sou especialista em direito desportivo, mas como os outros milhões de brasileiros, me sinto no direito de dar o meu pitaco sobre a lamentável 39ª rodada do Brasileirão. Após os primeiros 45 minutos, ganha o Fluminense (não vou discutir o mérito jurídico, até porque não sei se ele existe - repito, não sou advogado), mas perde o futebol brasileiro.

Por unanimidade, a Portuguesa foi condenada pelo STJD a perder 4 pontos no Brasileirão e a cair para a Segundona. Votação unânime, apesar de todo apelo popular da questão. "A lei deve ser cumprida" é o argumento dos tricolores. Por outro lado, se a regra do jogo fosse clara, como diz o comentarista, ela não precisaria ser interpretada por um tribunal. Um engravatado qualquer faria a análise. Sem discussão. Sem tribunal.

Em diversos países da Europa, qualquer escalação irregular de atletas, o clube perde os pontos referentes àquela partida na próxima competição. Mas a impressão é que no Brasil o regulamento é feito para dar brechas para interpretações.

A "regra é clara", mas a unanimidade é burra, como diria o tricolor Nelson Rodrigues.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?