Publicidade

27 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Novo treinador já atuou nesta quarta, durante atividade tática no Estádio Municipal
Novo treinador já atuou nesta quarta, durante atividade tática no Estádio Municipal

Sem perder tempo, o novo técnico do Tupi foi apresentado nesta quarta-feira (26) aos jogadores, à imprensa e já foi para o campo trabalhar. Paulo Campos, 57 anos, conversou com o grupo de atletas no início da tarde na sede social do Carijó e deu entrevista coletiva pouco depois, recebendo das mãos da presidente Myrian Fortuna a camisa do clube. Mais tarde, foi ao Estádio Municipal Radialista Mário Helênio para começar a conhecer seus comandados dentro de campo, em atividade tática que teve orientação do auxiliar técnico Lúdyo Santos, treinador interino do Alvinegro de Santa Terezinha nos dois últimos jogos.

A pressa se justifica pelo pouco tempo que Campos terá de trabalho antes de iniciar uma sequência de partidas decisivas. A partir do próximo sábado, quando enfrenta a Tombense, às 16h, no Almeidão, em Tombos, pela oitava rodada do Campeonato Mineiro, serão cinco jogos em duas semanas, entre eles a estreia na Copa do Brasil, dia 12 de março, contra o Juazeiro, fora de casa.

O técnico considera que chega em um bom momento. "Melhor impossível, com o Tupi na quarta colocação do Estadual. Mas também é uma situação perigosa, porque como são somente 12 clubes, você está disputando um lugar entre os quatro primeiros, mas sempre muito próximo da zona de rebaixamento", disse o novo treinador.

Paulo explicou que, a princípio, chega para comandar o time nessa reta final de Estadual e no primeiro confronto na Copa do Brasil, mas sua intenção é permanecer por mais tempo, treinando o Carijó também na Série C. Tudo vai depender de como andará seu trabalho. "Na realidade, o meu objetivo é que eu possa disputar as três competições, mas o acordo com o clube vai até a primeira partida da Copa do Brasil, até o final de março. Caso o trabalho corresponda, a tendência é que façamos um novo contrato até o fim da Série C", revelou.

Segundo o vice-presidente do Conselho Gestor do Tupi, Cloves Santos, o conhecimento e a vivência do técnico devem ser aproveitados ao máximo pelo time. "Esperamos que ele agregue mais qualidade a nosso trabalho e a nossa comissão técnica com seu conhecimento profundo de futebol. Ele entendeu o projeto, e desejamos toda a sorte nessa empreitada", disse o dirigente.

 

Pé quente

Depois dos resultados dos jogos da última terça-feira, quando as derrotas da Caldense para o Minas, por 2 a 1, e da Tombense para o Nacional-MG, por 1 a 0, ajudaram o Tupi a permanecer na quarta colocação do Mineiro, Campos considerou que aportou em Santa Terezinha com o pé quente. "Acho que já cheguei com um pouco de sorte. Como fui contratado na segunda-feira, analisei as competições, fazendo algumas projeções e pedi para Papai do Céu que nos ajudasse. De que maneira? Que tanto Tombense quanto Caldense tivessem resultados negativos nas partidas que disputaram ontem (terça-feira)", revelou.

O novo comandante carijó também procurou exaltar a torcida do Tupi em sua chegada ao clube. Segundo ele, o apoio das arquibancadas vai ser fundamental nos próximos compromissos. "Estou muito feliz, Juiz de Fora - e principalmente o Tupi - ferve em matéria de futebol. Tenho certeza que a torcida carijó vai estar cada vez mais presente, vai jogar com a gente. É muito importante que todos vivenciem o clube mesmo. São quatro jogos decisivos no Mineiro e a primeira partida com o Juazeiro na Copa do Brasil. É um momento importante da temporada."

E para buscar a classificação no Estadual e se preparar para a estreia na Copa do Brasil, o novo técnico já pediu para seus comandados deixarem a Folia de Momo de lado. "Nesse momento, com cinco partidas uma em cima da outra e todas decisivas, jogadores e comissão técnica não podem pensar em carnaval. Vamos treinar, claro, dando o momento certo de descanso por conta de cada partida, mas a folia vai ficar para quem está de fora do clube."

 

Coletivo

Como o próprio Paulo Campos já havia adiantado, o primeiro contato com os atletas teve mais observação e conversas com Lúdyo Santos do que intervenções do novo treinador. Em uma atividade tática em campo reduzido, o técnico contratado no início da semana acompanhou de perto o desempenho dos atletas que comanda agora e fez observações com o auxiliar da comissão técnica permanente em vários instantes.

Sem poder contar com o volante Felipe Lima, que está suspenso por conta do terceiro cartão amarelo, e com a volta do zagueiro Helder após cumprir suspensão, o time titular do Carijó teve mudanças. Pelo que foi trabalhado nesta terça no Estádio Municipal, a provável escalação para o sábado terá Jordan; Henrique, Helder, Fabrício Soares e Raphael Toledo; Genalvo, Maguinho, Sidnei e Fábio Tenório; Núbio Flávio e Da Silva.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você participa das celebrações da Semana Santa?