Publicidade

11 de Abril de 2014 - 07:00

Waldeí Moreira representa Juiz de Fora no Brasileiro de Flatland

Por Nathani Paiva

Compartilhar
 
Waldeí Moreira disputa a primeira etapa neste domingo
Waldeí Moreira disputa a primeira etapa neste domingo

Nem a longa viagem que o juiz-forano Waldeí Fernando Moreira, 28 anos, vai enfrentar dentro de um ônibus para chegar a São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, onde vai disputar, neste domingo (13), a primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Flatland, na categoria iniciante, o desanimou. Entusiasmado, o biker disse que pretende trazer bons resultados para a cidade. As outras fases do campeonato estão marcadas para acontecer em Canoas, no Rio Grande do Sul, em agosto, e a última na cidade de Itapevi, interior de São Paulo, no mês de novembro. Em cada uma delas há uma qualificação, mas o grande campeão brasileiro só poderá ser visto no final do ano.

Para desafiar os concorrentes, o Waldeí vem treinando mais de cinco horas por dia. Ele disse, ainda, que sua maior dificuldade é desenvolver a sequência de manobras chamada "rope-a-roni"."Tenho duas cicatrizes no joelho por conta dela. É muito complicado, porque demoro de cinco a seis meses para conseguir dominar toda a sequência. Vou enfrentar atletas capacitados, por isso o esforço do treino vale a pena."

A outra dificuldade apontada por Waldeí foi para conseguir patrocínio para ajudar a cobrir os gastos da sua viagem. Além disso, a bicicleta que ele irá usar neste campeonato custa mais de R$ 6 mil e, segundo ele, a maioria das peças são importadas. Para a despesa não ficar tão pesada, o juiz-forano comentou que pediu para ficar na casa da tia de um amigo em São José do Rio Preto. "A maioria dos gastos sou eu e minha família que estamos pagando. Mas, nessa ocasião, uma loja de bicicletas está me ajudando."

 

Influência

Mesmo sendo sua segunda competição de nível nacional - a primeira foi o campeonato Overgroud Flatland, no ano passado - Waldeí se sente preparado para enfrentar adversários mais experientes. No tempo que está livre, ele contou que assiste a vídeos do atleta finlandês Martti Kuoppa. "Ele é considerado um dos melhores bikers do mundo neste estilo e, por isso, é minha inspiração no flatland. As manobras que vou criando são baseadas nas que Kuoppa faz." Para driblar o nervosismo na hora da competição, Waldeí vai usar um velho truque. "Escuto música durante todo o tempo que estou me apresentando. Parece que estou dançando", brincou.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a realização de blitze seria a solução para fazer cumprir a lei que proíbe jogar lixo nas ruas?