Publicidade

16 de Março de 2014 - 06:00

Por Wallace Mattos

Compartilhar
 
Único treino coletivo antes do confronto foi realizado na manhã desse sábado
Único treino coletivo antes do confronto foi realizado na manhã desse sábado

Confronto tradicional do interior mineiro, o clássico indígena entre Tupi e Guarani tem caráter decisivo para as duas equipes. Neste domingo (16), a partir das 16h, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, ambos os times jogam seu futuro na última rodada do Campeonato Mineiro. Dono da casa, o Carijó busca a classificação para as semifinais desta edição do torneio e, para isso, precisa vencer e contar com tropeços de adversários diretos. Já o Zebu quer se garantir na elite do futebol do estado na próxima temporada, mas precisa da vitória combinada com maus resultados dos outros times que lutam para escapar da degola.

Como somente a vitória interessa, a previsão é de jogo difícil para o Tupi, no qual a equipe local precisa de gols para ficar mais perto de seu objetivo de estar na segunda fase do Estadual. Se é necessário balançar as redes, o assunto é com o camisa 9 carijó, Wesley. Depois de desencartar na última quarta-feira, abrindo caminho para a vitória sobre o Juazeiro, por 2 a 0, na Bahia, em partida que classificou os juiz-foranos diretamente para a segunda fase da Copa do Brasil, o atacante quer mais.

Wesley admite que tirou um peso das costas em sua volta a Santa Terezinha, após uma passagem rápida pelo Anápolis, de Goiás, no início de 2014. Mas para o camisa 9 não importa quem faça os gols, contanto que eles saiam e tragam a vitória para o Tupi. "Estava precisando desse gol em minha volta ao Tupi e ele saiu. Até mesmo a minha família estava me cobrando porque estou acostumado a marcar. Neste domingo, estou ali para fazer, mas não importa se sou eu ou outro companheiro que vai balançar a rede. Vamos ter poucas oportunidades e as que tiverem temos que aproveitar", alerta o jogador.

Duelo na bola parada

Nos últimos dois jogos do Tupi - derrota para o Cruzeiro, por 2 a 1, em Belo Horizonte, pelo Estadual, e vitória sobre o Juazeiro - o lateral-esquerdo Raphael Toledo marcou em cobranças de falta. Confiante, o jogador, originalmente meia, espera balançar a rede pela primeira vez em Juiz de Fora esse ano. "Espero fazer um gol agora em casa. Marcar é importante, ainda mais diante da nossa torcida. Pretendo entrar focado para, se tiver a oportunidade, conseguir desta maneira ajudar a equipe", deseja.

Mas Toledo sabe que terá um oponente forte no duelo de cobradores de falta. O meia Michel Cury, que já passou duas vezes por Santa Terezinha, tem tido em suas cobranças as principais fontes de gols e jogadas de seu time nesse Mineiro, ajudando o Guarani na luta pela permanência no Módulo I do Estadual. O jogador alvinegro deseja que a balança penda para seu lado nessa disputa. "Pode ser uma disputa interessante. Espero que levemos a melhor e nosso lado saia vencedor desse confronto que é uma verdadeira decisão", torce Toledo.

 

Matemática da classificação

Somente a vitória interessa ao Tupi na partida desta tarde e, por isso, o técnico alvinegro, Paulo Campos, pode voltar ao esquema com três atacantes que deixou de lado na vitória sobre o Juazeiro. No único treino coletivo antes do confronto deste domingo (16), realizado na manhã desse sábado, no Estádio Municipal, o comandante carijó começou a atividade com o meia Fábio Tenório na armação e tendo à frente Wesley e Núbio Flávio, mas, na segunda metade, trocou o armador pelo atacante Raphael Aguiar, trabalhando a linha de três homens de frente.

Em quinto lugar no Estadual, o Tupi tem o mesmo número de pontos, a mesma quantidade de vitórias e saldo de gols do América-MG, que tem vantagem de dois gols pró e, por isso, está em quarto. Assim, para avançar às semifinais do Mineiro, o Carijó tem que vencer o Guarani e torcer para o Coelho não bater a Caldense, em Poços de Caldas, ou o Boa Esporte não conquistar a vitória diante do Atlético-MG, em Belo Horizonte, em partidas que acontecem no mesmo horário do embate no Mário Helênio. Se seus concorrentes diretos também vencerem seus compromissos, a disputa do time juiz-forano será com os belorizontinos e quem vencer seu confronto pela maior diferença de gols fica com o lugar na semifinal.

A vaga carijó pode ser conquistada com um empate, mas a combinação de resultados é improvável. Nessa situação, obrigatoriamente, uma igualdade teria que acontecer também entre Caldense e América. Além disso, o placar em Juiz de Fora teria que ser três gols acima do de Poços de Caldas, com o Alvinegro de Santa Terezinha, por exemplo, empatando em 3 a 3 com o Guarani, e o marcador de Coelho e Veterana não sair do 0 a 0. Se perderem, os juiz-foranos dão adeus à disputa por um lugar na decisão do Estadual.

Embora dependa de outros jogos, a ordem no Carijó é esquecer os demais resultados. Para o técnico do Tupi, Paulo Campos, os embates dos três principais concorrentes às vagas restantes nas semifinais são complicados, e os juiz-foranos não podem desviar sua atenção para o que acontecerá neste domingo fora das quatro linhas do Mário Helênio. "Não tem como pensar nos outros resultados, caso contrário você perde o seu foco no que tem que fazer. América e Boa têm compromissos dificílimos e a gente também. Então temos que nos concentrar em nosso jogo para não sermos surpreendidos e conseguirmos a vitória que nos deixará perto da classificação", deseja o treinador.

 

Time conta com a força do torcedor

Depois de inaugurar o apitaço no último jogo em casa - vitória sobre o Boa Esporte, no dia 5 de março - o técnico Paulo Campos pediu que a torcida leve seus apitos neste domingo à tarde ao Estádio Municipal e somem ao que irão receber neste domingo para fazer ainda mais barulho. Além disso, os torcedores estão preparando balões em preto e branco para serem utilizados nas arquibancadas nesse confronto com o Guarani. Para o comandante do Tupi, a força das arquibancadas será crucial para seu time buscar a vitória e a classificação. "A cidade quando joga junto, a torcida quando vem junto torna a equipe muito forte. Precisamos demais contar com esse torcedor. Tem que aproveitar o domingo a tarde e vir ao estádio nos ajudar. Acredito que a torcida vai fazer toda a diferença", prevê.

Segundo o diretor-executivo do Tupi, Alberto Simão, além de auxiliar a equipe em busca da classificação para as semifinais do Mineiro, o torcedor pode ajudar também na permanência do técnico Paulo Campos, cujo acordo inicial com a diretoria vai até o jogo desta tarde. Um bom público poderia dar um alívio no caixa carijó para bancar o comandante. "Confiamos em um bom público, de pelo menos quatro mil pessoas. Há uma empatia grande entre a torcida e o Paulo e vice-versa. E o torcedor pode ajudar nessa contratação. Temos tido débito na maioria dos jogos e está na hora de a torcida responder. Se isso acontecer, podemos fazer algo mais pelos jogadores e pela renovação do treinador. Estamos tendo um início do ano muito bom e está na hora da arquibancada contribuir, pois estamos vindo de boas atuações, classificação na Copa do Brasil e é decisão no Mineiro. Temos que caminhar juntos para sermos mais fortes."

Os ingressos para Tupi x Guarani custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada para estudantes, menores de 12 e maiores de 60 anos, comprovados mediante apresentação de documento). As bilheterias do Estádio Municipal serão abertas às 14h, e a Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra) vai disponibilizar sete ônibus para o acesso dos torcedores saindo da Avenida Presidente Itamar Franco, em frente ao Procon, a partir das 13h. Para o retorno, o último coletivo deixará a área do Mário Helênio às 18h45.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?