Estúdio de JF produz videoclipe de artista internacional

Da Manchester Mineira para os Estados Unidos. Traços de uma paleta de cores pulsante ao som de distorções de guitarra e um lobo forte. Prazer, Inhamis. O estúdio juiz-forano, formado por Diego Navarro, Fernanda Roque, Tadeu Carneiro, Francisco Franco e João Pedro Castanheira teve sua produção internacional lançada na última sexta-feira (10), dando corpo à […]

Por Matheus Policarpo

14/02/2017 às 12:36hs - Atualizada 14/02/2017 às 12:36hs

João Pedro Castanheira desenha frame de animação. (Foto: Francisco Franco)
João Pedro Castanheira desenha frame de animação. (Foto: Francisco Franco)

Da Manchester Mineira para os Estados Unidos. Traços de uma paleta de cores pulsante ao som de distorções de guitarra e um lobo forte. Prazer, Inhamis. O estúdio juiz-forano, formado por Diego Navarro, Fernanda Roque, Tadeu Carneiro, Francisco Franco e João Pedro Castanheira teve sua produção internacional lançada na última sexta-feira (10), dando corpo à canção “The healing”, do guitarrista e cantor norte-americano Gary Clark Jr.

“Filha” dos zines impressos, a Inhamis passou para o conteúdo digital em 2010, com produção audiovisual, animação, ilustrações e design gráfico. Através de trabalhos de estilos diferentes e novas linguagens, a produtora criativa foi chamado pela Warner Bros. Records para trabalhar no novo videoclipe de Gary Clark Jr.

“Ano passado produzimos o videoclipe para a Basement Tracks, banda de Juiz de Fora que curtimos e que topou produzir um clipe com animação e rotoscopia. O Devin Sarno, gerente de conteúdo audiovisual da Warner Bros. Records, curtiu muito esse clipe e nos procurou querendo um produto com a mesma técnica para o lançamento dessa faixa do disco ao vivo do Gary Clark Jr.”, conta Diego Navarro.

 

O conteúdo continua após o anúncio

Com intervenções artísticas sobre os frames em que Clark está se apresentando ao vivo, a Inhamis trabalhou uma estética que também conversasse com a composição da música. Além dos símbolos, contornos e textos sobrepostos, um lobo com referências xamânicas dá as caras no clipe. A produção também teve a participação dos ilustradores Alex Badaró e Amanda Pomar.

“O Gary fala sobre como a música é a cura que ele tem para os males do mundo. Pensamos na parte que o lobo é um animal que representa um espírito forte, guerreiro, que anda em alcateia, ou solitário continua seu caminho e sobrevive. Existe uma referência a ícones xamânicos e alguns elementos místicos que o Gary curte. Procuramos agrupar esse universo com um clima de blues.”

A canção abre o último disco de Gary Clark Jr., “The story of sonny boy slim” (2015). Ouça na íntegra:

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia