M.Dias Branco espera acesso para iniciar obras

Obra será realizada pela PJF em parceria com o Governo do estado

Por Fabíola Costa

11/08/2017 às 07:00hs - Atualizada 10/08/2017 às 18:13hs

A M.Dias Branco, proprietária das marcas Adria, Estrela e Isabela, pretende iniciar as obras para a construção do parque fabril ainda este ano em Juiz de Fora. Uma pendência, no entanto, é a necessidade de construção de um acesso entre a via pública e o terreno localizado na BR-040, projeto que, segundo a empresa, é de responsabilidade do Poder Público e imprescindível para o início dos trabalhos.

Em entrevista à Tribuna, o vice-presidente de Investimentos e Controladoria do grupo, Geraldo Luciano Mattos Júnior, afirmou que a aquisição do terreno do empreendimento e o licenciamento ambiental já estão resolvidos, só faltando a estrada para dar início às obras civis. A expectativa é que a conclusão da unidade aconteça em 2019. Já o início das operações, propriamente ditas, está previsto para começo de 2020.

(Foto: divulgação)

Conforme o vice-presidente, a Prefeitura se comprometeu a fazer o acesso e, tão logo exista a sua disponibilização, a empresa dará início às obras. A meta é iniciá-las ainda este ano, mesmo que no final dele. Geraldo afirmou que não é possível estimar prazo para o atendimento da demanda, mas espera que aconteça nos próximos dois ou três meses. Uma preocupação é não coincidir o início da terraplanagem com o período de chuvas na região. Apesar da pendência, o executivo destacou a “boa vontade” da Prefeitura em resolver a questão.

“É um investimento muito grande, muito expressivo, muito importante para melhorar a nossa participação em Minas Gerais, um estado que cresce muito. Precisamos estar presentes com uma unidade fabril aí.”

Segundo o prefeito Bruno Siqueira (PMDB), “a articulação para a construção da estrada de acesso ao local está em andamento junto ao Governo do estado”. A informação é de que o processo foi liberado em reunião com o governador Fernando Pimentel (PT) no último mês e, agora, aguarda-se a viabilização de convênio com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), para que o processo licitatório seja iniciado pela Prefeitura.

Conforme o prefeito, a estrada fará a ligação da BR-040 até o Porto Seco, em Dias Tavares. A primeira etapa, orçada em R$ 7 milhões, está prevista até a entrada de onde será instalada a indústria. Os recursos seriam da Codemig. “Esse primeiro trecho já garante as condições para o início das obras da fábrica.” Há um ano, a estimativa da Prefeitura, com base no cronograma de implantação apresentado pelo grupo, era de início das obras civis no quarto trimestre de 2016, com começo das operações dois anos depois.

O conteúdo continua após o anúncio

Procurada, a Codemig, por meio de sua assessoria, afirmou que os projetos viários foram entregues à companhia pela Prefeitura de Juiz de Fora e serão encaminhados à Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), “com vistas à elaboração de convênio”. O orçamento inicial foi confirmado, assim como a procedência dos recursos pela própria companhia, “empresa pública indutora do desenvolvimento econômico no estado”.

Empreendimento orçado R$ 350 milhões

Orçado em R$ 350 milhões, o projeto prevê uma fábrica de biscoitos, massas e farinha de trigo, um moinho de trigo e um centro de distribuição na cidade. A assinatura de protocolo de intenções com o município aconteceu em março de 2015. Em dezembro de 2014, a empresa lançou comunicado ao mercado, anunciando o protocolo firmado com o Estado. Além dos R$ 300 milhões já previstos para a instalação da fábrica – a serem aplicados em até cinco anos – o Governo de Minas oficializou, em janeiro de 2016, a intenção de o grupo investir mais recurso na cidade, para a disponibilização de um moinho de trigo e um centro de distribuição.

Conforme o executivo, o empreendimento deve gerar entre 800 e mil empregos diretos. Segundo o vice-presidente, houve demora na regularização do terreno, mas a área está paga, em nome da empresa e com o processo concluído. Sobre a questão ambiental, a informação é que, recentemente, as condicionantes foram atendidas, estando a empresa em fase final de obtenção da licença. A Prefeitura, por meio de sua assessoria, afirmou que a M.Dias Branco já conta com a licença ambiental de instalação. O número de linhas de produção, o maquinário a ser utilizado e a produção inicial ainda estão sendo dimensionados. “É uma planta grande, que vai permitir expansões futuras.”

Em dezembro de 2015, a Câmara aprovou a incorporação do empreendimento à lei de incentivo fiscal, que permite o reembolso de até R$ 50 milhões para a indústria alimentícia, caso ela cumpra a previsão de gerar, para o município, mais de R$ 100 milhões em dez anos, referentes à quota-parte do ICMS repassadas pelo Estado. O faturamento inicialmente previsto chega a R$ 650 milhões, podendo chegar a R$ 1 bilhão em uma década.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia