Estado deixa de divulgar escala de pagamento

Servidores só saberão a data que vão receber seus salários poucos dias antes, comprometendo planejamento financeiro

Por Marcio Santos

12/07/2017 às 19:25hs - Atualizada 12/07/2017 às 19:54hs

Os servidores ativos e inativos do Estado de Minas Gerais que recebem até R$ 3 mil de pagamento (75% do total da folha do Governo) recebem os vencimentos referentes ao mês de julho integralmente nesta quinta-feira (13). Já os servidores que recebem acima deste valor terão a primeira parcela depositada nesta quinta e as demais nos dias 20 e 26 de julho. No entanto, diferentemente do que tem ocorrido desde o início do parcelamento dos vencimentos, quando as escalas de pagamento eram feitas para o trimestre, agora o Governo irá divulgar a escala mês a mês.

De acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) do Governo de Minas Gerais, a decisão foi tomada no mês passado com o objetivo de aguardar o cenário econômico, pois, caso ocorra qualquer melhora neste período do fluxo de receitas estaduais, a escala será alterada, podendo ser diminuída para duas ou até mesmo serem extintas, voltando o pagamento a ser feito em apenas uma parcela para todos os servidores. Uma das esperanças do Governo para aumentar a receita é o projeto de anistia, que beneficia com a eliminação de juros e multas quem quitar débitos com o Estado.

Apesar da expectativa otimista do Governo estadual, os servidores estão apreensivos, segundo informou o diretor de relações intersindicais do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Fiscal de Minas Gerais (Sindifisco), Manoel José Magalhães. Ele considera a medida paliativa, pois a remissão pode ser prejudicial para o próprio Governo, que poderá não arrecadar o que pretende. O diretor do Sindifisco reclama ainda que, nos primeiros meses, quando foi anunciado o parcelamento, os servidores estavam recebendo no quinto dia útil, agora, eles recebem a primeira parcela no meio do mês, e a última quase no mês seguinte.

O conteúdo continua após o anúncio

“Os servidores não podem determinar quando irão pagar o seu cartão de crédito, a sua conta de água ou de luz. As contas já têm uma data definida e eles se programam para isso. Com este rodízio de datas, o prejuízo é enorme, principalmente para os que recebem acima de R$ 6 mil, pois a última parcela do pagamento é feita apenas no final do mês.”

Na última escala trimestral divulgada pelo Governo, de abril a junho, os pagamentos foram realizados entre os dias 12 e 25 de cada mês.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia