Projeto quer higienização de carrinhos e cestas

A higienização de cestas e carrinhos disponibilizados para compras em supermercados pode se tornar regra em Juiz de Fora. O assunto é tema de projeto de lei apresentado pelo vereador Adriano Miranda (PHS). De acordo com o autor da proposta, que já tramita na Câmara, tais estabelecimentos contam com grande fluxo de pessoas e a […]

Por Guilherme Arêas

17/03/2017 às 16:46hs - Atualizada 17/03/2017 às 16:51hs

A higienização de cestas e carrinhos disponibilizados para compras em supermercados pode se tornar regra em Juiz de Fora. O assunto é tema de projeto de lei apresentado pelo vereador Adriano Miranda (PHS). De acordo com o autor da proposta, que já tramita na Câmara, tais estabelecimentos contam com grande fluxo de pessoas e a constante utilização de tais recipientes faz com que se tornem depósitos de bactérias e outras ameaças à saúde. O texto protocolado pelo parlamentar defende que a higienização seja feita quinzenalmente, com a utilização de produto bactericida.

Os carrinhos e cestos são locais nos quais o consumidor acomoda os alimentos adquiridos e, uma vez em contato com sua superfície, podem ser infectados com bactérias ou substâncias estranhas nocivas à saúde”, considera Adriano na justificativa do projeto. Ainda segundo o vereador, estudo realizado pela Universidade do Arizona (EUA) concluiu que 72% dos carrinhos de compras continham bactérias fecais. “Além disso, pesquisas atestam que entre as superfícies públicas, as barras dos carrinhos de compras são as mais contaminadas, sendo muito mais sujas do que a maioria dos banheiros públicos”, reforça o parlamentar.

O conteúdo continua após o anúncio

Caso o projeto de lei seja aprovado em plenário, a fiscalização acerca do cumprimento da determinação ficará a cargo do Poder Executivo, por meio do departamento de vigilância sanitária. Os supermercados terão prazo de dois meses para se adequarem à determinação. A partir daí, em caso de desrespeito à determinação, estarão sujeitos a sanções. As penalidades vão desde advertência a multa de até R$ 1 mil.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia