Audiência discute reestruturação da Getúlio Vargas

  Troca de linhas, atrasos nos horários e mudança de itinerários do sistema de transporte público de Juiz de Fora foram debatidos nesta quarta-feira (19) no plenário da Câmara por representantes de associações de bairros, da Settra e do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Juiz de Fora. Na audiência pública, proposta pelo vereador […]

Por Michele Meireles

19/04/2017 às 19:43hs - Atualizada 19/04/2017 às 19:45hs

 

(Foto: Marcelo Ribeiro)
(Foto: Marcelo Ribeiro)

Troca de linhas, atrasos nos horários e mudança de itinerários do sistema de transporte público de Juiz de Fora foram debatidos nesta quarta-feira (19) no plenário da Câmara por representantes de associações de bairros, da Settra e do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Juiz de Fora. Na audiência pública, proposta pelo vereador Cido Reis (PSB), foram levantados, ainda, temas como segurança dos trabalhadores e dos usuários do transporte e manutenção dos veículos, além da reestruturação da Avenida Getúlio Vargas, que segundo os usuários, o local não possui estrutura para mais de 20 linhas de ônibus.

De acordo com o presidente da Associação de Moradores do Bairro Santa Luzia e adjacências, Ary Raposo, por conta dos constantes atrasos das linhas de ônibus da região, a Settra propôs uma diminuição do número de veículos para desafogar o trânsito na região central da cidade. No entanto, Ary acredita que essa medida iria prejudicar os moradores. “A Settra falou em reestruturação de horário, ou seja, diminuir o número de ônibus. A população não aceita isso. O problema não está no horário dos ônibus. Uma solução seria desviar alguns carros que vêm da Zona Norte e utilizar mais a Avenida Brasil para desafogar o trânsito”, sugere.

O conteúdo continua após o anúncio

O secretário da Settra, Rodrigo Tortoriello, contestou que a ideia seja diminuir as linhas. Ele destaca que, com o crescimento do número de veículos na cidade, há necessidade de readequação dos itinerários. “O que foi debatido com a comunidade é, que para atender o descanso remunerado de trocadores e motoristas dos coletivos, é preciso diminuir alguns horários para não ficar tão apertado.” Tortoriello acrescentou também que a verba do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) para reforma da Avenida Getúlio Vargas já está liberada, restando, portanto, o projeto e a implantação da reforma. Mas Tortoriello considera fundamental a utilização da Avenida Brasil como via alternativa para o transporte coletivo.

“Convocamos os representantes dos bairros para que compareçam à Settra a fim de debatermos uma melhor utilização da Avenida Brasil, que hoje está subutilizada para o transporte coletivo e tirar veículos da Getúlio Vargas. Assim, a gente consegue distribuir melhor o atendimento, evitar atrasos e melhorar a qualidade do serviço”, espera o secretário.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia