Verba de Marcha para Jesus causa discussão

Causou discussão em plenário da Câmara Municipal, no sessão de ontem, o recurso financeiro utilizado pela Prefeitura para custear um show durante a Marcha para Jesus, realizada na cidade no último sábado. O questionamento refere-se ao cachê pago à empresa Faz Chover Produções Artísticas Ltda., para apresentação do cantor gospel Fernandinho, que se apresentou na […]

Por Guilherme Arêas

27/06/2015 às 07:00hs - Atualizada 26/06/2015 às 22:39hs

Causou discussão em plenário da Câmara Municipal, no sessão de ontem, o recurso financeiro utilizado pela Prefeitura para custear um show durante a Marcha para Jesus, realizada na cidade no último sábado. O questionamento refere-se ao cachê pago à empresa Faz Chover Produções Artísticas Ltda., para apresentação do cantor gospel Fernandinho, que se apresentou na Praça Antônio Carlos. Conforme extrato de contrato, publicado no Atos do Governo, foi pago R$ 85 mil ao conjunto musical. O vereador Jucelio Maria (PSB) criticou o fato de esta verba ser empregada em um momento de cortes de gastos por parte da Prefeitura, em razão da crise financeira. O Executivo, porém, garante que os cofres públicos serão ressarcidos por emendas parlamentares.

No momento mais caloroso dos debates, o vereador Nilton Militão (PTC) subiu à tribuna para confirmar que o cachê do artista será pago com recursos de emendas parlamentares. Ele afirmou que o Município contribuiu com R$ 45 mil para a última Rainbow Fest e questionou o fato de Jucelio não ter feito qualquer reclamação na época. “Vossa excelência foi preconceituosa, porque reclamou da ajuda financeira dada a um evento e não ao outro.” Jucelio, por sua vez, argumentou que, em momento algum, criticou o fato de o recurso ter sido destinado a um evento religioso. “Em momento algum, falei de religião, até porque sou cristão. Quando falei da questão de verbas dirigidas a um determinado evento, falei da forma como foi feito. Ano passado, participei da Marcha. Reconheço e dou valor a qualquer movimento que busca equilíbrio, paz e tranquilidade.”

 

O conteúdo continua após o anúncio

R$50 mil por parlamentar

O vereador André Mariano (PMDB), em sua explanação, disse que o dinheiro não foi em vão. “Eu creio no poder da oração. Os outros segmentos tem muito mais apoio que nós. A Funalfa libera mais recursos para o pagamento de eventos culturais do que religiosos.” Em nota, a Prefeitura garantiu que “os recursos financeiros correspondentes aos gastos do evento serão integralmente pagos com verba proveniente do Governo do estado, através da Secretaria de Governo, a título de emendas parlamentares dos deputados estaduais Noraldino Júnior (PSC), Léo Portela (PR), Márcio Santiago (PTB) e Leandro Genaro (PSB).” Cada emenda deve ter o valor de R$ 50 mil. Além dos gastos com o show, os recursos foram aplicados na infraestrutura do evento, como sonorização e trios elétricos.

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia