Soldado da PM mata mãe, namorada e sogra, antes de tirar a própria vida

Crimes teriam sido confessados pelo autor a um irmão por meio de mensagem enviada pelo Whatsapp

Por Tribuna

12/08/2017 às 14:41hs - Atualizada 14/08/2017 às 14:15hs

Um soldado da Polícia Militar (PM) se envolveu em um drama familiar, suspeito de ter assassinado a namorada, a sogra e a própria mãe, antes de se suicidar. O roteiro da tragédia começou em Divinópolis, no Centro-Oeste do Minas, entre a madrugada e a manhã deste sábado (12). Igor Quintão Vieira, de 23 anos, matou Aline Guimarães Rodrigues, 34, e a mãe dela, Elisabete Guimarães, 66. Aline também era soldado da PM e, com Igor, fazia o curso da Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Sargentos, em Belo Horizonte. Segundo a PM, os crimes teriam sido confessados pelo autor a um irmão por meio de mensagem enviada pelo Whatsapp. Após os homicídios, o soldado percorreu de carro mais de 300km, até chegar a Rio Pomba, na Zona da Mata, onde estava a passeio e teria matado sua própria mãe, Eloiza Santa Quintão Vieira, 48, e se suicidado em seguida.

Chefe de imprensa da PM, o major Santiago afirma que as mortes ainda serão investigadas, mas admite que tudo indica para uma série de homicídios seguida de suicídio por parte do soldado. “A perícia técnica ainda vai determinar os horários das mortes, mas, inicialmente, teriam acontecido por volta das 2h, em Divinópolis, e das 6h, em Rio Pomba. Tudo indica para isto (homicídio seguido de suicídio). A arma na mão. A mensagem enviada ao irmão. Mas as investigações podem revelar uma outra história. Não havia nada na conduta pessoal do soldado ou na sua atuação profissional que desse indícios de que algo deste tipo pudesse ocorrer.”

Em Rio Pomba, mãe e filho foram encontradas mortos na casa em que moravam. Segundo a PM, vizinhos da família ouviram disparos de arma de fogo por volta das 6h. Outros familiares chegaram à residência e se depararam com a cena do crime. A polícia foi acionada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). As informações iniciais apontam que os corpos estavam na cama, e o militar estaria com um revólver calibre 38 nas mãos. O local foi preservado até a chegada da perícia técnica. A investigação deverá apontar se só havia duas pessoas no local e se foi um caso de homicídio seguido de autoextermínimo.

 

 

 

O conteúdo continua após o anúncio

 

 

 

 

 

Leia também

Desenvolvido por Grupo Emedia