Publicidade

02 de Julho de 2014 - 06:00

Por PAULO CESAR DE OLIVEIRA Jornalista e diretor-geral das revistas "Viver Brasil" e "Robb Report"

Compartilhar
 

Por mais que se queira elevar o nível da nossa Seleção Brasileira, não há como não dizer que o time é bem fraco, diante dos resultados que vem obtendo, como no jogo de sábado na arena do Mineirão. Por mais que se queira defender, é impossível não reconhecer que nossa Seleção não está bem. É um time fraco e taticamente muito previsível. Vamos nos arrastando nesta Copa, embora passando por cima dos adversários, com alguns lampejos apenas de nossos jogadores, muita ajuda divina e providenciais ajudas dentro de campo.

Tudo isso se viu no jogo contra o Chile, quando empatamos no tempo normal e na prorrogação e nos salvamos nos pênaltis. Melhor sabem para quem? Para Aécio Neves, que, com certeza, seria tachado de "pé-frio", acusado de torcer contra a Seleção para prejudicar Dilma nas redes sociais petistas. Aliás, esta mania de ver complô em tudo atingiu Felipão e também o coordenador técnico da Seleção, Carlos Alberto Parreira.

Depois do jogo em que eliminamos o Chile, com pouco futebol e muita sorte, ambos disseram que há algo errado, denunciando a existência de um complô para evitar que o Brasil chegue ao seu sexto título. Para ficar mais igual aos petistas - Lula e Dilma -, só faltou identificarem como "setores conservadores" os tais articuladores de um complô que só eles veem. E assim vamos arrumando desculpas para todos os nossos males no futebol, na política, na segurança, enfim, em tudo. Fora do campo, até que estamos nos saindo melhor do que esperávamos.

Para atender um público pouco exigente - o torcedor é assim -, nossa estrutura vai funcionando muito bem até. Tão bem que a presidente Dilma já não descarta a possibilidade de fazer a entrega da Copa ao vencedor. Desde, claro, que seja o Brasil, pois, se formos eliminados, dificilmente ela aceitará a incumbência. A presidente já teve uma pequena demonstração de como é o torcedor, sempre disposto a vaiar, nem que seja "minuto de silêncio", já dizia Nelson Rodrigues. Se tem motivos para vaiar, então! Até aqui, temos motivos para temer. Para comemorar mesmo, só a Fifa, que anda faturando horrores com esta Copa, e, melhor, sem ter que pagar impostos.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o subsídio do Governo vai alavancar a aviação regional?