Publicidade

08 de Junho de 2014 - 06:00

Por EQUIPE IGREJA EM MARCHA Grupo de leigos católicos

Compartilhar
 

Cinquenta dias depois da Páscoa, os discípulos de Jesus e sua mãe, Maria, estavam reunidos em Jerusalém quando veio sobre eles o Espírito Santo. Eles estavam amedrontados com tudo que o senhor sofrera, temiam por suas vidas e por perseguições. Após a efusão do espírito, saíram à grande multidão que se encontrava em Jerusalém para a festa, e aí começaram, com um discurso de Pedro, a anunciar a todos Jesus ressuscitado. Muitos judeus falavam línguas diferentes, mas cada um os compreendia como se estivessem falando em sua própria língua. Celebramos essa festa como a fundação da Igreja: só depois da vinda do espírito ousavam cumprir a missão de Jesus. Aí começava a caminhada do povo cristão.

O próprio Jesus, no discurso inaugural de sua missão, a definia, citando Isaías, como uma ação do espírito: "O espírito do senhor está sobre mim... Ele me ungiu para evangelizar os pobres e curar os de coração ferido; enviou-me para proclamar a remissão dos presos e aos cegos a recuperação da vista, para restituir a liberdade aos oprimidos e para proclamar um ano de graça do Senhor" (Lc 4,18s e Is 61,1s).

No batismo, cada um de nós foi ungido pelo Espírito Santo, e essa unção tem objetivos definidos: anunciar a boa notícia aos pobres, e que essa boa notícia conforte corações que sofrem, leve saúde a quem não tem e destrua toda forma de opressão, criando um mundo mais justo e solidário. Para a igreja nascente, essa unção visa à missão de anunciar Jesus ressuscitado e a continuar sua missão de Cristo. A unção quer que falemos de um modo que todos compreendam. Por isso, a semana que precede a festa de Pentecostes é semana de orar e agir para acabar com o maior escândalo que nós damos ao mundo. É a semana em que pedimos ao espírito que nos ajude na busca de unidade de todos os cristãos, qualquer que seja o nome que tenha sua igreja, para entendermos que todos os crentes em Jesus devem viver e se comportar como irmãos. O próprio Jesus orou por isso a Deus, pois ele entendia que só a unidade dos cristãos permitirá que o "mundo creia" (Jô 17,21).

Vamos permitir a nós mesmos sermos dóceis ao espírito que quer nos conduzir na nossa missão, que é a missão que Jesus confiou a cada um de nós. Rezemos com frequência, pedindo ao pai para nos enviar o espírito a fim de renovar a face da terra. O espírito já está sobre nós: falta a nós arregaçarmos as mangas e fazermos o "ano de graça do senhor". Que ele venha com abundância para todos nós.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você leva em consideração a escolaridade do candidato na hora de votar?