Publicidade

25 de Abril de 2014 - 06:00

Por CARLOS MAURÍCIO DE M. R. PEREZ Colaborador

Compartilhar
 

"O socialismo é o visionário irmão mais novo do quase extinto despotismo, do qual quer ser herdeiro; seus esforços, portanto, são reacionários no sentido mais profundo." Friedrich Nietzsche em "Humano, demasiado humano", pág. 255-256, Aforismo 473.

Na extinta URSS, a religião foi banida pelo estado não por ser religião em si, mas pela simples razão de ser concorrente direta do estado dogmático que é o socialismo. Os dois são compostos por diferentes verdades absolutas, não restando ao indivíduo outra opção, a não ser crer nas benditas verdades. Se o cidadão contestasse alguma verdade absoluta em tais regimes dogmáticos, coitado... No socialismo, e isto acontece até hoje, a liberdade individual é quase nula, o estado é respeitado, não o indivíduo.

Os germanos, os escandinavos e os anglos-saxões formam um grupo social influenciado culturalmente pela reforma protestante (anglicana e luterana), e é um segmento muito interessante de ser analisado. Ainda hoje, se apresentam com um vanguardismo de causar inveja aos velhos povos latinos da Europa. Qual seria a chave de seu sucesso? Ouso afirmar que, além de terem uma maior liberdade individual, nesses países protestantes, a remissão dos pecados não existe. Erra-se ou não! Não tem essa de errar e estar perdoado para errar de novo. São diferenças sensíveis, mas que causam grande influência. Principalmente nos jovens, que crescem aprendendo a assumir seus erros, tendo, com isso, que enfrentá-los. Seremos mais evoluídos quando os estados, ainda menores do que são hoje, aprenderem a não serem mais os executores das igrejas.

Nós, latinos do novo mundo, sofremos com o caudilhismo populista há séculos, do desenvolvimentista ao socialista, exceto o Chile, talvez... Portamos-nos como filhos bastardos da Europa. Procuramos desesperadamente um novo pai para darmos um significado às nossas vidas. Tal fato me parece ser uma patologia edipiana, e os nossos acadêmicos deveriam estudar a fundo o porquê desta busca incessante. Se analisarmos analogamente, o latino europeu sofre da mesma patologia, mas, aí, é outra história...

Karl Marx errou frontalmente quando afirmou que nos dias de hoje haveria uma "luta de classes": a burguesa contra a proletária, o mesmo "nós contra eles" do Lula. Uma velha tática socialista: procurar um adversário (assim como Marx no capitalismo) e passar a criticá-lo duramente. Porém, o que se desenvolveu com o bom e velho capitalismo foi exatamente o contrário - uma classe média robusta, economicamente ativa e totalmente inserida nas vias de consumo socializadas pelos países protestantes. O capitalismo ainda não resolveu todas as mazelas por culpa exclusiva dos governos corruptos de alguns países. O muro caiu há mais de 20 anos, mas nada impede que você, socialista convicto e muito provavelmente filho revoltado de um udenista, se mude para Cuba ou vá viver na China, e, de antemão, desejo a todos que forem uma boa viagem!

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a retirada das pinturas de Lucio Rodrigues dos pontos de ônibus?