Publicidade

04 de Março de 2014 - 06:00

Cidade precisa acelerar projeto ligando Zona Sul à Cidade Alta hoje, por conta do anel viário da UFJF

Por Tribuna

Compartilhar
 

A cada evento da magnitude do que ocorreu na tarde da última quinta-feira, no Campus da Universidade Federal de Juiz de Fora, quando a saída do Pórtico Sul foi fechada para retirada de dois quebra-molas, fica evidente a necessidade de uma via própria para ligação da Zona Sul com a Cidade Alta. Um trecho de pouco mais de mil metros, ligando os dois portais, foi vencido em quase uma hora, graças ao engarrafamento que se formou no anel viário. Sem contar as pequenas batidas que levaram alguns motoristas a verdadeiros ataques de nervos.

Tanto a Prefeitura quanto a UFJF já anunciaram estudos para a construção de uma via própria, mas não há prazos para montagem do projeto total e, muito menos, recursos imediatos para a sua construção. A universidade seria parceira por interesse próprio, uma vez que hoje, a despeito de ser um espaço para estudos, tornou-se (e não é de hoje) uma via de passagem. E já foi pior, quando não havia redutores. Era uma via de risco por conta dos incautos que confundiam o trecho com autódromo.

Há um traçado original que ainda não foi utilizado, mas a discussão da mobilidade, que ocupa os principais fóruns sobre as cidades, precisa inserir o tema em sua agenda, pois, se nada for feito, a situação tende a se agravar, já que as duas regiões estão em plena expansão. A Avenida Itamar Franco, que chega até o campus, ganha fluxo constante de veículos por causa dos investimentos, como duas unidades de apartamentos e escritórios ao lado do Independência Shopping. Já a Cidade Alta continua ganhando novos condomínios. Sem um caminho novo, o campus vai continuar sendo a única rota. E com isso, mais problemas.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?