Publicidade

01 de Junho de 2014 - 06:00

Por causa da Copa do Mundo, eleição fica em segundo plano, mas candidatos precisam ir para a estrada

Por Tribuna

Compartilhar
 

O desempenho dos candidatos a governador, de acordo com as recentes pesquisas, indica que os mineiros se mostram por inteiro ao manter a velha prudência na definição dos seus votos. Quase 30% ainda estão indefinidos, mas o que mais chama a atenção é o desconhecimento que têm ante os próprios pretendentes e as confusões que ocorrem com nomes tão próximos: Pimenta e Pimentel.

É fato que ainda é cedo para definir os rumos das eleições, sobretudo este ano, quando o país é sede da Copa do Mundo. A partir desta semana, até o dia 13 de julho, as conversas serão em torno dos garotos de Felipão e das possíveis manifestações contra a Copa, envolvendo também outros segmentos que aproveitam o momento para apresentarem suas demandas. Mesmo assim, esperava-se mais dos candidatos, que, agora, terão que ir atrás do tempo perdido, mesmo com a bola rolando.

A Tribuna, uma semana depois de ouvir as propostas do candidato Fernando Pimentel, apresenta hoje a entrevista do tucano Pimenta da Veiga. Ambos estão otimistas e entendem que ainda há tempo para muitas questões, como as composições, a começar pelo PMDB. Este, por um raro erro de estratégia, definiu suas convenções para o dia 10 de junho, quando poderia fazê-las até o dia 30 do mesmo mês. Cortejado pelo PT de Fernando Pimentel, e convidado a ficar neutro pelos tucanos, o velho partido é peça fundamental no jogo. A hora, pois, é de apostas.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?