Publicidade

06 de Dezembro de 2013 - 07:00

Compartilhar
 

EM ABERTO

Muito perto de completar um ano à frente da Mesa Diretora, o vereador Julio Gasparette (PMDB) não deve lançar seu nome para a reeleição à presidência no fim do ano que vem. Em conversas informais, o peemedebista descarta a possibilidade. Pelo menos em um primeiro momento. Para Gasparette, o mandato de dois anos é suficiente para que um presidente possa dar sua contribuição ao Palácio Barbosa Lima. Seu entendimento é de que um rodízio de parlamentares no comando da Casa é importante para oxigenar o Parlamento. As conversas sobre sucessão, entretanto, ainda não ganharam força nos bastidores. Alguns nomes são tidos como opções naturais. Entre eles, João do Joaninho (DEM) e Rodrigo Mattos (PSDB), atuais vice-presidentes da Câmara. Líder do Governo, Luiz Otávio Coelho (Pardal, PTC) pode ser outra alternativa.


Rosa Cabinda

Projeto de lei do vereador Roberto Cupolillo (PT) pretende denominar uma praça na entrada do Bairro Vitorino Braga, Zona Leste, que ainda não tem nome de Praça Rosa Cabinda. A homenageada foi escrava do comendador Henrique Guilherme Fernando Halfeld, considerado o fundador de Juiz de Fora. Segundo Betão, a escrava servia à esposa do comendador e, após a morte desta, tentou comprar sua própria alforria, não obtendo permissão de Halfeld. A denominação é uma reivindicação do movimento negro, que desenvolve atividades na região do Vitorino Braga.


Ficou para 2014

O governador Antonio Anastasia lamentou ontem o adiamento da votação do novo Código de Mineração. A proposta, que foi enviada em junho, só volta à pauta do Congresso Nacional no ano que vem. Não é de hoje que o Governo de Minas vem cobrando uma solução para os estados mineradores, que enfrentam grandes prejuízos com a atual forma de cobrança de royalties, estabelecida em legislação de 1967. Caso consiga aprovar a mudança, o Estado, que deve ter sua receita aumentada em até três vezes, se comprometeu a destinar todo adicional arrecadado para a área de educação.


Coleta solidária

Juiz de Fora pode ter, a partir do ano que vem, uma política de coleta solidária de materiais mobiliários e eletrodomésticos, que terá como finalidade recolhê-los e distribuí-los, cabendo à Prefeitura prover as condições logísticas para recebimento, armazenamento, triagem, classificação e distribuição dos donativos recolhidos. Os proponentes do projeto, os vereadores Jucelio Maria (PSB) e José Márcio (PV), sustentam que esse tipo de resíduo é, muitas vezes, descartado em locais que representam risco para o saneamento básico do município. Falta sanção do Executivo.


Em braile

As contas de água e IPTU podem ser emitidas com informações em braile a partir do ano que vem. Projeto de lei apresentado pelo vereador Jucelio Maria (PSB) prevê que os interessados em receber as contas confeccionadas em braile devem se inscrever em órgão competente na Prefeitura, podendo esta disponibilizar o cadastro via internet. Conforme justificativa apresentada por Jucelio, apenas mediante tal medida o cidadão com deficiência visual terá pleno acesso às informações de sua conta de água e de seu carnê de IPTU. A matéria tramita em comissões.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?