Publicidade

09 de Janeiro de 2014 - 07:00

Compartilhar
 

ANTES DO CARNAVAL

O PSDB bateu o martelo e vai decidir o nome de seu candidato ao Governo já na segunda quinzena do mês que vem. O anúncio foi feito ontem, depois de reunião do senador Aécio Neves com lideranças políticas e com o presidente do diretório estadual, deputado Marcus Pestana. A movimentação do principal adversário do PSDB, o ministro Fernando Pimentel, pesou na antecipação. Outra medida confirmada foi a saída do governador Antonio Anastasia do cargo, no dia 31 de março. Mas isso não implica que será candidato a senador. Ficará à disposição do partido até mesmo para ser o coordenador nacional da campanha de Aécio à Presidência. Somente nesta condição, porém, é que deixará de disputar a única vaga ao Senado, para a qual é considerado favorito.


Só governador

A escolha do PSDB ficará em torno dos pré-candidatos Marcus Pestana e Pimenta da Veiga, mas a definição do vice e do primeiro suplente ao Senado, segundo relato do próprio Pestana, só será conhecida aos 43 minutos do segundo tempo, pois será necessário esperar a postura dos aliados e possíveis articulações que possam entrar na mesa de negociação. A primeira suplência se justifica pela possibilidade de Anastasia, em sendo eleito e Aécio tornar-se presidente, ser pule de dez para o ministério, tendo que deixar o Senado enquanto estiver no Executivo. Os próximos dias serão de muitas conversas.


Nova sede

Quando presidiu a Câmara em 2010, o prefeito Bruno Siqueira não iniciou as obras da nova sede por considerar que a cidade tinha outras prioridades. Hoje, Bruno continua com a mesma opinião, mas respeita, segundo assessores, a independência dos poderes. Como o presidente da Câmara, Julio Gasparette, já anunciou que não irá usar recursos do município na construção do prédio, o prefeito solicitou que a obra só seja iniciada com todas as garantias de liberação da Caixa Econômica Federal, apontada por Gasparette como financiadora do empreendimento.


Informação

Já está em tramitação na Câmara projeto do vereador pelo PT Roberto Cupolilo (Betão) estabelecendo que os órgãos públicos tanto da Administração direta quanto da indireta devem cumprir o prazo máximo de 30 dias para atender solicitações e requerimentos apresentados pela população. A data de início do prazo é o primeiro dia útil após a entrega. Só haverá prorrogação em temas complexos mediante autorização do servidor de maior hierarquia dentro do órgão responsável pela informação.


Até o carro

Sem prazo para chegar ao plenário da Câmara Federal, está em tramitação projeto de lei do deputado Fábio Trad (PMDB-RS) prevendo a perda do veículo para caso de motorista embriagado que causar mortes. O texto é visto com preocupação pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que adverte ser o Código de Trânsito Brasileiro bem severo nas penas para os infratores. O setor jurídico da CNM entende que é preciso ter mais rigor na fiscalização e ações efetivas para combater, sobretudo, o consumo de álcool e sua associação com a direção.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a retirada das pinturas de Lucio Rodrigues dos pontos de ônibus?