Publicidade

11 de Janeiro de 2014 - 07:00

Compartilhar
 

OPÇÃO POR PIMENTA

O PSDB vai anunciar, provavelmente no dia 17 de fevereiro, o nome de seu candidato à sucessão do governador Antonio Anastasia, mas todas as apostas, hoje, são em torno do nome do ex-ministro Pimenta da Veiga. Embora a definição oficial não tenha ocorrido, até mesmo o deputado Marcus Pestana admite que ela vai por esse caminho. Três dos outros pré-candidatos - Nárcio Rodrigues, Alberto Pinto Coelho e Dinis Pinheiro - saíram do páreo e estão apoiando Pimenta da Veiga. "O Nárcio era meu aliado, mas, com essa decisão, admito que estou isolado", disse o deputado. No entanto, ele vai continuar viajando pelo interior. "Tenho recebido apoio dos prefeitos e até mesmo de aliados que me orientaram a não jogar a toalha, mas tenho, além desse novo cenário, resistências dentro do próprio Governo, como a do secretário Danilo de Castro", admitiu.


Conservadores

Pessoas próximas a Pestana entendem que o lado conservador pesou na decisão, mas advertem que a conta pode ser cobrada nas urnas, uma vez que o ex-ministro, sobretudo num tempo de jovens nas ruas, não irá indicar para o novo que se exige, ficando essa bandeira, agora, com o ministro Fernando Pimentel. Mas todos admitem que o quadro dificilmente será mudado. Pestana vai continuar como protagonista no jogo, pois tornou-se o principal porta-voz do senador Aécio Neves e está na lista de possíveis coordenadores de sua campanha presidencial.


Porta-vozes

Enquanto os dados definitivos não são jogados, por precaução, ele está discutindo seu futuro com as bases, já que nos últimos tempos passou mais tempo em discussão do projeto presidencial do que da sua reeleição. A própria imprensa nacional, quando quer alguma repercussão envolvendo o presidenciável Aécio, procura Pestana. Hoje, ele exerce papel semelhante ao do deputado Beto Albuquerque, do PSB, que tornou-se o principal porta-voz do governador Eduardo Campos. Ambos são deputados federais.


Pela suplência

A definição do candidato a governador é apenas uma das etapas do jogo, pois ainda resta a definição do candidato ao Senado e seu suplente. Embora já tenha data marcada para deixar o cargo, dia 31 de março, Antonio Anastasia vive situação semelhante à do deputado Marcus Pestana: também é cotado para coordenar a campanha nacional do PSDB à Presidência. Se for, a luta pela indicação será intensa, podendo sobrar até mesmo para Pestana. Se o governador optar pelo Senado, a briga será por sua suplência, já que, num eventual Governo Aécio, ele será ministro.


No páreo

Em princípio, a lista dos candidatos a deputado federal por Juiz de Fora não deverá passar por alteração, com os três atuais detentores de mandato buscando a reeleição, mas, além de Pestana, o deputado Júlio Delgado (PSB) também é aposta do seu partido para outras demandas, até mesmo para um possível projeto de candidatura própria ao Governo de Minas. Júlio tornou-se próximo do governador Eduardo Campos e tem sido seu interlocutor em Minas. Se o prefeito de BH, Marcio Lacerda, rejeitar um projeto próprio, ele é o nome da vez.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?