Publicidade

31 de Janeiro de 2014 - 07:00

Compartilhar
 

CANDIDATURA PRÓPRIA

O PMDB de Minas ainda não definiu pelo apoio à candidatura do ministro Fernando Pimentel (PT) ao Governo, tendo um peemedebista como vice, possivelmente o ministro da Agricultura, Antônio Andrade. O grupo defensor da candidatura própria se mantém ativo e disposto a levar adiante o projeto de volta ao Palácio. O senador Clésio Andrade, principal articulador deste movimento, está, agora, mobilizando as bases por meio de correspondência. O presidente da Câmara Municipal, Julio Gasparette, filiado ao partido, recebeu carta do senador, datada do dia 23 deste mês, assinalando que "nosso PMDB tem decisões importantes a tomar tendo em vista as eleições de 2014". O documento, de oito parágrafos, aponta não apenas a posição do senador, mas enfatiza também a história da legenda. "Olhando para o passado de luta de nosso partido e pensando no futuro de nosso estado, vejo que o PMDB é o único pronto e preparado para realizar as transformações necessárias para que Minas retome seu papel junto à política nacional", observou.


Desconforto

Na carta, Clésio não esconde o seu desconforto com as articulações do presidente licenciado do partido, Toninho Andrade, e a pressão do PT para fechar já um acordo político, cedendo a vaga de vice. Segundo ele, "o PMDB não pode ficar a reboque de interesses pessoais ou subordinado ao comando de outros partidos ou grupos políticos". Ele ainda cita a eleição de Tancredo Neves, em 1982, e a volta em 1998, com Itamar Franco, até 2002. "Já se vão 12 anos longe das decisões de Governo, e percebemos que os mineiros sentem saudades do PMDB."


Pelo telefone

Defensor da candidatura própria, o vereador Julio Gasparette, além da carta de Clésio Andrade, recebeu um telefonema do ex-senador Wellington Salgado, ora atuando na região do Triângulo Mineiro. A conversa foi a mesma: a candidatura própria. No entanto, nem Clésio nem Salgado falaram em nomes, embora o senador e presidente da Confederação Nacional dos Transportes não esconda ser ele o principal interessado, já que não pretende enfrentar o governador Antonio Anastasia num eventual projeto de reeleição.


Dia marcado

Ainda sem jogar a toalha no processo de escolha do candidato a governador, o deputado Marcus Pestana estabeleceu data para "clarear" se será ele o candidato a governador ou se vai disputar a reeleição: 12 de fevereiro. Pelo Twitter, ele acentuou que, após contatos finais em Juiz de Fora - realizados nos últimos dois dias -, irá mergulhar (não fará qualquer pronunciamento) na primeira semana de fevereiro, aguardando a decisão coletiva do grupo. O PSDB deve anunciar o indicado no dia 17 de fevereiro. "Fiz a minha parte, agora é com a direção do partido e aliados."


Para aqui

Presidente do diretório estadual do PSDB, Marcus Pestana anunciou também o fim de sua participação nas caravanas que o partido por ele dirigido estava realizando em cidades estratégicas de Minas Gerais, tendo começado por Uberlândia. Para fevereiro estavam programadas as caravanas de Poços de Caldas, Montes Claros, Pouso Alegre, Governador Valadares, Guaxupé e Uberaba. Como a definição do candidato sairá no meio do mês, Pestana, ainda pelo Twitter, foi claro: "como a decisão sai agora, paro aqui".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a proibição de trote nas ruas de JF, como prevê projeto aprovado na Câmara?