Publicidade

08 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Compartilhar
 

JF PRESTIGIADA

O governador Antonio Anastasia voltará mais vezes a Juiz de Fora, especialmente se for candidato ao Senado, mas sua vinda à cidade, hoje, é a última como governador de Minas. Se havia queixas de outros mandatários, que deixaram o município fora de suas agendas, não se pode dizer o mesmo do atual governador. Desde a sua chegada ao poder, quando substituiu Aécio Neves, que saiu mais cedo para disputar o Senado Federal, e na sua gestão, já eleito, ele fez várias incursões à cidade, não apenas para gestos políticos ou inaugurações de feitos do estado. Até mesmo para eventos empresariais fez questão de vir ao município, como na inauguração do Centro de Distribuição do Bahamas, quando foi o principal convidado. Desta vez, lança a Rede Samu e o Sistema de Urgência e Emergência, considerado fundamental, pois desafoga o HPS. Dependendo do caso, os pacientes podem ir direto para o João Felício, Santa Casa ou Maternidade Terezinha de Jesus, que farão parte da rede conveniada.


Em ascensão

O presidente licenciado do PDT Vítor Valverde é figura em ascensão no governo Marcio Lacerda, em Belo Horizonte. Convidado no ano passado - logo que retornou de uma temporada de estudos em Londres - para assumir a assessoria especial do prefeito, está, desde quinta-feira, no comando interino da Secretaria de Planejamento da Prefeitura, acumulando ainda a presidência do Conselho de Administração da Bimotor, empresa de turismo da capital. Enquanto isso, o médico Antônio Zaida dirige a legenda em Juiz de Fora.


Ainda não

Embora a imprensa de Belo Horizonte já esteja dizendo que ele não será candidato, políticos ligados ao ex-prefeito Custódio Mattos garantem que essa informação é fruto apenas das especulações. Custódio se encontrou no início da semana com o secretário de Governo Danilo de Castro e discutiram longamente o processo eleitoral. Em recente pesquisa, ele tinha números que o deixaram otimista, mas reafirmou que está gostando do trabalho de secretário de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Belo Horizonte. A decisão será tomada até o carnaval.


Goela abaixo

Um dos primeiros signatários da carta de fundação do MDB e também do PMDB, o ex-prefeito Tarcísio Delgado, agora filiado ao PSB, fez dura crítica às lideranças peemedebistas que fazem jogo duro com a presidente Dilma para formação do novo ministério. Pelo Facebook, ele foi enfático: "As lideranças nacionais do PMDB, com seu fisiologismo, estão destruindo o que fizemos do partido no passado. É uma vergonha. Vão aniquilar uma legenda que se firmou na luta democrática. Querem empurrar "goela abaixo" da presidente Dilma nomes desprovidos de qualquer qualificação".


Traição

No mesmo texto, o ex-prefeito de Juiz de Fora arremata que a luta pelo poder não se restringe apenas ao embate do partido com o Governo, mas também na instância interna. Para ele, "estão traindo, inclusive, o Temer (Michel Temer), que já não tem forças para controlar os direitistas do partido. É lamentável". Tarcísio não citou nomes, mas um dos políticos que mais pressionam o Governo é o deputado Eduardo Cunha (RJ), líder da bancada na Câmara Federal. É dele a resistência a acordo com a presidente. Dilma, por sua vez, se recusa a fazer qualquer indicação que o tenha como padrinho.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?